Militares e policiais protestam contra projetos do governo do RJ que alteram regras para servidores públicos

Militares protestam contra contrapartidas de medidas do Regime de Recuperação Fiscal

Bombeiros, policiais militares, penais e civis protestam nesta quarta-feira (15) contra projetos do governo do estado que alterariam benefícios de servidores públicos.

Os projetos foram apresentados pelo governador Cláudio Castro (PL), depois que o governo federal impôs contrapartidas para que o estado do Rio de Janeiro permaneça no Regime de Recuperação Fiscal (RRF).

A adesão ao RRF suspende o pagamento de dívidas do estado com a União por um ano e permite, a partir do ano que vem, o pagamento parcelado em nove anos.

Os projetos foram apresentados na semana passada e só devem ser votados em outubro. Nesta manhã, uma audiência pública discute as possíveis mudanças.

Por volta de meio-dia, a Avenida Rio Branco e a Avenida Nilo Peçanha estavam interditadas. A Avenida Presidente Vargas, no sentido Candelária, foi interditada na altura da avenida Passos.

O que mudaria na vida do servidor

  • Extinção da gratificação de tempo de serviço (triênios)
  • Extinção da licença especial de PMs e bombeiros com 10 anos de corporação
  • Extinção da progressão automática de carreira
  • Suspensão de promoções até que progressão de carreira seja regulamentada
  • Nova idade mínima de aposentadoria: 62 anos para mulheres; 65 para homens
  • Aposentadoria com 25 anos de contribuição (10 de serviço público e 5 no cargo)

O que o RJ ganha com o RRF

  • Suspensão da dívida do RJ com a União por um ano
  • Parcelamento por 9 anos da dívida do RJ com a União

Outras contrapartidas impostas para o RRF

  • Venda de empresas públicas
  • Limitação de despesas
  • Redução de incentivos fiscais

G1*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *