TRE-RJ promove treinamento com agentes de segurança para trabalho durante as eleições

Um treinamento do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro reuniu, na manhã desta segunda-feira (9), 600 profissionais da Lei Seca, Marcha Pela Cidadania e da Operação Segurança Presente que, pela primeira vez, vão trabalhar na eleição.

Esse ano, cada zona eleitoral das regiões que participam do programa Segurança Presente vai contar com três agentes e um policial militar.

“A gente exerce muito essa polícia de proximidade e agora nas eleições vai ser uma continuidade dessa proximidade, a gente vai dar segurança para que as pessoas exerçam seu direito à democracia, da maneira mais natural”, disse o coordenador da Operação Copacabana Presente, Hugo Coque.

Todo efetivo policial nas ruas

Em 2020, as Forças Armadas não vão reforçar a segurança no Rio de Janeiro. Assim, todo o efetivo das polícias Civil e Militar vai estar nas ruas no domingo (15) para garantir eleições tranquilas no estado. Serão 30 mil policiais, sendo 22 mil PMs e 8 mil policiais civis.

O efetivo policial vai atuar nos locais de votação, na escolta das urnas eletrônicas e nos locais onde elas ficam guardadas. O plano de segurança da eleição foi feito em parceria com o TRE.

Os policiais civis vão trabalhar em dois turnos, com 4 mil agentes cada. A Coordenadoria De Recursos Especiais (Core) poderá ser acionada se houver necessidade, assim como as unidades de operações especiais da PM. A corporação suspendeu férias e folgas dos militares.

Também na manhã desta segunda-feira, o governador em exercício no estado, Cláudio Castro, disse que o apoio dos militares não é necessário, porque as forças estaduais seriam suficientes.

“Eu sou muito grato ao Tre pela confiança nas nossas forças de segurança. Depois de muito anos as eleições serão tocadas somente pelas forças estaduais de segurança e a Lei Seca e o Segurança Presente”, disse Castro.

O governador em exercício enfatizou que a população poderá votar com tranquilidade.

“A ideia [do reforço dos agentes de segurança às polícias estaduais] é a comunidade poder ser ajudada, pode estar fazer essa questão cidadã mesmo e dando tranquilidade que as pessoas poderão sair de casa para votar, terão segurança e não terão problema algum”, destacou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *