Soltura de Regis Fichtner deixa mais longe o mistério do Porto do Açu

Opinião:

A soltura no dia de ontem do ex-secretário da Casa Civil do governo Sérgio Cabral, Regis Fichtner, intitulado como o 02, foi solto na noite de ontem por um habeas corpus, por maioria, pela segunda turma do Supremo Tribunal Federal.

A soltura de Fichtner deixa o mistério do Porto do Açu mais distante para ser dessecado ou revelado.

Com o 02 solto os tentáculos das desapropriações do Porto, embora já reveladas por Cabral, ainda deverão continuar com alguns defensores na mídia corporativa.

A Prumo Logística, sucessora da LLX e dos negócios sujos feitos por Cabral e Eike nas desapropriações, despejou dinheiro em revistas semanais objetivando evitar que o escândalo tomasse maiores proporções do que foi o depoimento de Sérgio Cabral, que confessou ao MPF e ao juiz Marcelo Bretas o recebimento de US$ 16,5 milhões para facilitar o que fosse necessário para Eike Batista.

Esse valor foi só o dele, Cabral. Tem ainda o de Regis Fichtner, que segundo Cabral era recebido também via escritório de advocacia que Fichtner participou ou ainda participa e que era responsável pelo jurídico da LLX nos processos de desapropriações no Porto do Açu.

É preciso saber por que ainda não foi mais ninguém preso além de Eike Batista nessa história envolvendo as desapropriações no Porto do Açu.

Segue abaixo o depoimento de Cabral no Ministério Publico Federal, no dia 21 de fevereiro do ano em curso, bem como cópia de parte da denúncia oferecida contra Cabral e Regis Fichtner.

É preciso saber por que alguns projetos de Cabral e sua quadrilha ainda continuam dando muito certo.

Quem estaria faltando? Essa parece ser a próxima tarefa do MPF.

Denúncia Cabral e Regis

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: