Prisão preventiva de Glaidson, da GAS Consultoria Bitcoin, é mantida; juiz revoga prisão de outros dois

Glaidson Acácio dos Santos, suspeito de chefiar um esquema de pirâmide financeira no RJ, teve a prisão preventiva mantida após audiência de custódia nesta sexta-feira (27).

O advogado Thiago Minagé, que defende Glaidson, informou que recebe de “forma respeitosa” a decisão, mas vai ingressar com um habeas corpus no Tribunal Regional Federal (TRF).

A Justiça também manteve a prisão preventiva de Tunay Pereria Lima e sua mulher, Marcia Pinto dos Anjos, ambos presos.

Glaidson foi preso na quarta-feira (25) na Operação KryptosAgentes, da Polícia Federal. Na ação, foram apreendidos mais de R$ 15 milhões em espécie na casa dele.

Também foram apreendidos com Glaidson quase R$ 150 milhões em bitcoins.

Outros dois presos, Arthur dos Santos Leite, apontado como “trader” da empresa; e Guilherme Silva de Almeida, que é sócio de uma das empresas de Glaidson, também passaram por audiência de custódia nesta sexta e serão soltos.

A ação foi comandada por PF, Ministério Público Federal (MPF), Receita Federal e Procuradoria da Fazenda Nacional. Glaidson é suspeito de fraude que movimentou “cifras bilionárias”.

Com G1*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *