Prefeito Wladimir Garotinho visita obras da Tisiologia do HFM

O Prefeito Wladimir Garotinho visitou nesta quarta-feira (17) as obras de recuperação do setor de Tisiologia do Hospital Ferreira Machado (HFM), que estão em ritmo acelerado. Responsável pelo acolhimento de pacientes no tratamento de tuberculose, a recuperação da Tisiologia integra a sequência de melhorias em andamento no HFM, como correção de problemas de infiltração, substituição de drenos de escoamento danificados e pintura em alguns pontos da fachada e em salas da unidade hospitalar.

Para o Prefeito, a obra da Tisiologia é muito importante e está custando muito pouco para os cofres públicos. “É isso que estamos pregando, união das secretarias e organismos da prefeitura, do staff administrativo para que a gente possa, com pouco recurso, porque a realidade é difícil do ponto vista orçamentário, fazer obras importantes para o atendimento à população com uma maior qualidade”, ressaltou Wladimir.

O superintendente do HFM, Arthur Borges, e o diretor administrativo, Gilberto Nunes, esclarecem que na reforma está sendo realizada a troca de portas, pintura, revisão elétrica e hidráulica, além de correções de infiltrações. “Desde o início da nova gestão estamos empenhados para recuperar a estrutura encontrada, no menor período possível. Entendemos que pacientes e servidores merecem conviver em um ambiente salubre e apropriado, tanto para o desenvolvimento do trabalho de nossas equipes, quanto para a recuperação dos atendidos. Para tal, não estamos medindo esforços e estamos contando com nossa equipe de manutenção, que trabalha em regime de mutirão visando reformar emergencialmente os locais que mais necessitam de reparos, dentre eles a Tisiologia”, afirmaram.

A IMPORTÂNCIA DO SERVIÇO

Para o médico infectologista Nélio Artiles, do Setor de Doenças Infecciosas e Parasitárias (DIP) do HFM, desde a fundação, a Tisiologia é o local para o tratamento de uma parcela da população que mais precisa. “A tuberculose em seus casos mais graves, que necessitam de internação, normalmente atingem pessoas muito pobres e sem assistência. Por isso, a doença ainda é um preocupante problema de saúde pública. O HFM é tradicionalmente referência para o tratamento de pessoas com tuberculose e infelizmente o número de casos mais severos da doença continuam a ocorrer, apesar do avanço do tratamento. Isso se dá, muito pela desnutrição e também pelas péssimas condições de vida de uma desassistida parcela da população. Depois de um período em que o hospital foi relegado a planos inferiores com falta de medicamentos e estrutura comprometida, a gente fica extremamente feliz quando a gestão percebe a importância da unidade e se volta para o hospital com um olhar diferente e, por isso, nosso agradecimento”, disse.

O HFM E SUA ORIGEM

Fundado em 1952, o HFM chamava-se Sanatório Ferreira Machado, criado especialmente para tratar de pacientes portadores de tuberculose. A unidade foi concebida com uma estrutura dotada de grandes janelas e varandas, que visavam a maior circulação de ar e com isso uma redução no risco de transmissibilidade da doença.

Em 1987 teve início a construção do Pronto Socorro “Adão Pereira Nunes”, anexo ao prédio do hospital. Em 1991, com a inauguração do Hospital Geral Ferreira Machado e do Pronto Socorro, o HFM passou a se dedicar ao atendimento de emergência de traumas, tornando-se referência neste tipo de atendimento em todo o Norte Fluminense.

Subcom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *