Mês da Mulher: direitos, autoestima e empreendedorismo são temas de café da manhã em SFI - Tribuna NF

Mês da Mulher: direitos, autoestima e empreendedorismo são temas de café da manhã em SFI

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

Servidoras da Secretaria Municipal de Trabalho e Desenvolvimento Humano (SMTDH) de São Francisco de Itabapoana (SFI) participaram de um café da manhã especial em homenagem ao mês da mulher nesta sexta-feira (18). Além de apresentações musicais, o evento realizado na sede do órgão contou com palestras sobre autoestima, direitos e empreendedorismo.

Acompanhada de secretários, assessores e vereadores, a prefeita Francimara Barbosa Lemos relatou um pouco de sua rotina. “Nós mulheres somos capazes de muitas coisas. Somos capazes de mudar o mundo. E muitas vezes, não temos noção disso. Parabenizo a todos as mulheres guerreiras, sobretudo as são franciscanas”, disse.

O secretário municipal de Trabalho e Desenvolvimento Humano, Fagner Azeredo, destacou que as políticas públicas voltadas para as mulheres foram efetivadas através da atual gestão.

Sobre o tema, a presidente do Conselho Municipal da Mulher, Nágila Coutinho, lembrou importantes ações desenvolvidas por meio da SMTDH, como o Ônibus Lilás, em parceria com o Governo do Estado, e a elaboração em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde do protocolo de atendimento no Hospital Municipal Manoel Carola da mulher vítima de violência. Ela lembrou ainda leis sancionadas, como é o caso da que proíbe homens condenados por violência contra mulher a assumirem cargos públicos em SFI.

Citando a administração da prefeita Francimara, o vice-prefeito Raliston Souza pontuou que é característico das mulheres a sensibilidade e a atenção para com os detalhes. Ele também lembrou a ex-vereadora Patrícia Cherene, a atual vereadora Yara Cinthia e a delegada da 147ª Delegacia de Polícia, Ivana Morgado, como exemplos de força. “Sem dúvidas, o homem aprende muito com a mulher. Além disso, eu noto a importância da união das mulheres, mais voltadas umas para as outras, uma forma de cada vez mais aumentar a representatividade”, finalizou.

Palestras – A advogada Priscila Kelly mencionou datas e legislações marcantes para o combate a discriminação e a violência contra a mulher. As leis Maria da Penha, sancionada em 2006, e contra o feminicídio, em vigor desde 2015 foram alguns exemplos.

“É preciso pensar nas mulheres que passaram por lutas tão difíceis e lutaram para que pudéssemos estar aqui hoje. A luta ainda é muito grande, mas não devemos ficar caladas. Não podemos ser omissas”, pontuou. Ela, que atua no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), lembrou canais importantes para buscar ajuda: Disque 180, a Delegacia de Polícia e o telefone do Creas (9.9955-5008).

Outra tema abordado foi a autoestima. Para a psicóloga Nilvia Coutinho “a forma como cada um se enxerga” influencia até mesmo a saúde. “Ter autoestima é fazer o seu melhor”, afirmou, explicando que a autoeficácia e o autoconceito são elementos que contribuem para esta finalidade.

Por fim, a analista do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Jéssica Rangel, deu dicas para incentivar o empreendedorismo feminino. Segundo ela, 30 milhões de mulheres empreendem no Brasil, a maioria impulsionada por alguma necessidade.

AscomSFI*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *