Mais uma entrega do Cartão Goitacá totalizando 4.770 famílias beneficiadas - Tribuna NF

Mais uma entrega do Cartão Goitacá totalizando 4.770 famílias beneficiadas

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

“O Cartão vai ajudar muito a gente. Saindo daqui, já vou comprar arroz e feijão”, comemorou a doméstica, Cristiane da Silva, 48 anos, moradora do Parque Prazeres, durante a entrega do Cartão Goitacá realizada aos novos beneficiários na manhã desta quarta-feira (17), na Vila Olímpica do Jardim Carioca. O evento contou a presença do Prefeito Wladimir Garotinho e do secretário de Desenvolvimento Humano e Social, Rodrigo Carvalho. Nesta terceira listagem foram contemplados 957 beneficiários. Ao todo, 4.770 novas famílias foram beneficiadas pelo programa de transferência de renda municipal.

“Estou muito feliz de ver essa festa tão bonita, pois tenho certeza que estamos no caminho certo. Assim a gente vai diminuindo a extrema pobreza no município. A gente gostaria que todos tivessem emprego de carteira assinada, mas essa não é a realidade. Não vamos mudar essa realidade num pequeno espaço de tempo. Enquanto as pessoas estão passando dificuldade, a prefeitura cumpre seu papel”, disse o prefeito, lembrando dos Programas Mãe Coruja, que oferta kit enxoval para as mulheres em vulnerabilidade e o Restaurante do Povo, como proteção social para a população.

O secretário de Desenvolvimento Humano e Social, Rodrigo Carvalho, informou que as inclusões prosseguem nos próximos meses, e as famílias não precisam ir aos Centros de Referência de Assistência Social para fazer inscrição, basta manter o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal atualizado, pois é a base de dados utilizada para a inclusão no benefício.

– O governo está empenhando na estruturação da rede de atendimento as famílias e na garantia da segurança alimentar, mas os avanços não param, pois nos próximos meses iniciaremos oficinas para auxiliar as famílias referenciadas nos equipamentos na geração de renda – destacou o secretário.

Moradora de Espirito Santinho, a doméstica Salvadora Roda Moraes, 55 anos, disse que o benefício chega no momento certo. “Vai me ajudar muito, porque eu trabalho, mas não tenho carteira assinada. A renda que eu ganho é muito pouca, então esse valor vai me ajudar nas despesas da casa. Às vezes o dinheiro que eu ganho não dá para pagar conta de luz e de água”.

A dona de casa, Raquel das Graças, 24 anos, moradora do Farol de São Thomé, falou das dificuldades e da importância do cartão para a família.

“Onde eu moro as pessoas me ajudam, porque eu passo por muito aperto em casa. Eu agradeço muito a Deus por estar recebendo meu cartão hoje. Vai ajudar a comprar as coisas para as crianças, fralda, leite”.

A diretora de Proteção Social Básica, Paloma Campos, lembrou que a consolidação do Cartão Goitacá foi concretizada a partir da sensibilidade do Prefeito Wladimir Garotinho com a regulamentação da lei, dentro dos critérios técnicos. “Tudo foi planejado e executado com o objetivo de garantir o acesso ao benefício de forma técnica e transparente. Podemos comemorar que mais famílias estão recebendo esse benefício”.

– Ver essa quadra cheia nos dá alegria, porque são famílias que poderão garantir seu alimento. Esse é o trabalho da política de assistência social, garantir direitos para todos aqueles que precisam. Hoje é uma sensação de dever cumprido – disse a coordenadora do Cartão Goitacá, Marcélia Cardoso.

As famílias beneficiárias são referenciadas no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) e Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). Os beneficiários devem estar, preferencialmente, em acompanhamento familiar pelo Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) ou Serviço de Proteção e Atendimento Especializado à Família e Indivíduos (PAEFI).

Segundo a lei, aprovada na Câmara Municipal e Conselho Municipal de Assistência Social, serão priorizadas famílias numerosas que tenham em sua composição idosos e pessoas com deficiência sem fonte de renda e sustento; pessoas e famílias vítimas de calamidades e emergências; mulheres chefes de família e seus filhos, mulheres em situação de violência e jovens egressos dos acolhimentos institucionais.

E, ainda, ter renda mensal per capita na faixa da extrema pobreza; ser morador (a) do município de Campos há no mínimo 3 anos e, preferencialmente, não estar inserido em outros programas de transferência de renda.

Secom*

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *