Bolsonaro alfineta Witzel e defende CPI para investigar Cedae e crise da água no Rio

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quinta-feira a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar investigar as irregularidades na Cedae que levaram à crise no fornecimento de água no Rio de Janeiro. Bolsonaro ressaltou, contudo, que a CPI precisa “perseguir a verdade” e não “perseguir o governador”.

— Parece que tem uma CPI tomando forma lá na Assembleia Legislativa. A CPI não tem que ser para perseguir governador, tem que perseguir a verdade. O que houve com a Cedae? Houve loteamento? O que aconteceu, negligenciaram? CPI é para isso, buscar solução — disse Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.

Antes, Bolsonaro ironizou a situação, perguntando quem queria tomar a água do Rio de Janeiro, em uma forma de provocar o governador Wilson Witzel. O presidente dizia que Witzel e o governador de São Paulo, João Doria, estão preocupados com a eleição presidencial de 2022 e que por isso não trabalham para a população.

— Eu não estou preocupado com isso. Eu não vou me preocupar com eleição. Vou fazer o meu trabalho. O que puder atender a população, eu vou atender. Eles, não. Em vez de mostrar o serviço deles… Pergunta para o Witzel como é que está a água do Rio de Janeiro. Alguém quer tomar um copo de água do Rio de Janeiro? Agora botaram detergente na água, olha que coisa linda. Agora, problema dele, eu não vou dar pancada nele. Ele tem que resolver.

Vinte e oito deputados assinaram na terça-feira, primeiro dia do ano legislativo, um pedido de CPI proposto pelo deputado Luiz Paulo (PSDB) para investigar as irregularidades na Cedae. Entretanto, o grupo esbarrou na vontade política do presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano (PT), que afirma que há outras CPIs em tramitação na Alerj e que é preciso “respeitar a fila”.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *