Witzel pede inelegibilidade de Paes à Justiça Eleitoral

O governador eleito Wilson Witzel (PSC) quer que o ex-prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM) fique impedido de disputar eleições. Witzel e Paes disputaram o segundo turno da corrida ao Palácio Guanabara. No último dia 14, o ex-juiz deu entrada em uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral, que contém 50 páginas. Nela, Witzel alega que houve “abuso de poder econômico” e “abuso de poder político” por parte de Paes na eleição de 2018. No meio político, o movimento é interpretado como uma tentativa de Witzel de jogar uma pá de cal sobre o ex-prefeito do Rio, sepultando qualquer chance de o rival disputar a prefeitura em 2020 ou até mesmo o governo do estado em 2022.

Witzel alega, por exemplo, que Paes teria distribuído brindes como bolas de voleibol e, com isso, ferido a legislação eleitoral durante a campanha. E que o ex-prefeito teria se utilizado de um bem público, a 16ª Delegacia de Polícia, para gravar um vídeo usado durante o período eleitoral. O ex-juiz também pede ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) a inelegibilidade do deputado estadual Comte Bittencourt (PPS), que disputou como vice na chapa de Paes.

De sua opinião