Siprosep quer paralisar 70% a Saúde mesmo com o aumento da covid-19

Elaine Leão já ameaçou organizar atos violentos

Mesmo após o Ministério da Saúde divulgar dados apontando que a média móvel de mortes no Brasil por conta da covid-19 voltou a apresentar crescimento, a presidente do Siprosep, Elaine Leão, insiste em tentar paralisar a 70% o atendimento nos hospitais e postos de saúde da Prefeitura de Campos. A estratégia da sindicalista põe em grave risco a saúde de pessoas, que venham a testar positivo para a doença.

Com o aumento de casos de covid-19 em todo o país, no último dia (30), a Secretaria Municipal de Saúde recomendou a volta do uso de máscaras nas escolas da rede municipal de ensino por alunos e professores, além da higienização das mãos e o distanciamento social. O IFF e as escolas particulares também adotaram as medidas preventivas.

Uma paralisação de 70% no atendimento dos hospitais e postos de saúde de Campos, em um período de baixas temperaturas, também significará mais problemas. É no inverno que há um aumento no número de doenças relacionadas ao sistema respiratório principalmente em crianças. Por outro lado, o CCZ já alertou que a dengue está em linha de crescimento na cidade.

No último sábado (4), Leão divulgou um vídeo nas redes sociais, defendendo a redução a 70% do atendimento no Hospital Ferreira Machado (HFM), a maior unidade de saúde com emergência da região, em torno de 200 pacientes passam diariamente pelo pronto socorro. Seu companheiro de Siprosep, Bira Santiago, em um áudio que circula nas redes sociais, estimula a greve no HFM, sem se preocupar com as consequências para a população.

“Vamos fazer a greve e deixar os RPAs trabalhar. Se der alguma merda, vai repercutir no governo Wladimir. Então temos que parar” afirma Bira falando sobre paralisar parte do atendimento no HFM.

As atitudes irresponsáveis de Leão

A presidente do Siprosep, sindicato que representa os servidores da Prefeitura de Campos, Elaine Leão, está perdendo o controle da categoria por atitudes irresponsáveis, como tentar prejudicar o atendimento na área da Saúde. Na sexta-feira (3), ela voltou a organizar manifestação em frente ao prédio onde mora o prefeito Wladimir Garotinho. O ato desagradou a vizinhança e aos próprios servidores.

Na quinta-feira (2), Leão ameaçou organizar atos violentos para tentar aumentar o tom da greve. A afirmação da presidente do Siprosep foi durante mais uma reunião com o Secretário de Administração e Recursos Humanos de Campos, Wainer Teixeira.

A sindicalista também desacatou o Secretário e disse que não mais negociará com a Prefeitura. O destempero dela, se deve a baixa adesão dos trabalhadores ao movimento grevista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.