Programa Mãe Coruja é lançado e vai atender 200 gestantes por mês em Campos

Foi falando de amor, solidariedade e políticas públicas voltadas para a proteção social que o prefeito Wladimir Garotinho lançou, nesta quinta-feira (17), o Programa Mãe Coruja, um auxílio natalidade eventual que atende gestantes em situação de vulnerabilidade social, referenciadas nos Centros de Referência da Assistência Social (Cras) ou Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas). Junto com o prefeito, estavam a primeira-dama Tassiana Oliveira; os secretários de Desenvolvimento Humano e Social, Rodrigo Carvalho; e da Casa Civil, Suledil Bernardino; o presidente da Câmara de Vereadores, Fábio Ribeiro; a deputada federal, Clarissa Garotinho; e a diretora da Gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas), Aline Giovannini. Mães, gestantes, equipe técnica da secretaria responsável pelo programa, vereadores, secretários e colaboradores da prefeitura também participaram do lançamento do programa.

A cerimônia de lançamento aconteceu no Teatro Municipal Trianon e teve início com a apresentação de funcionários da Associação de Pais de Pessoas Especiais (Apape): Sérgio Melo e Lucas Peres no vocal e violão e a bailarina e assistente social da instituição, Tânia Menezes, e a sua filha, Clara, de 5 meses, em uma performance de dança. Durante a cerimônia, também houve a entrega das chaves de 17 veículos 0Km, que vão atender os equipamentos da Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social.

O prefeito Wladimir Garotinho falou da felicidade em implantar o Programa Mãe Coruja, mas ressaltou as dificuldades diárias encontradas para que seja possível cuidar das pessoas, oferecendo melhor qualidade de vida à população e construindo um município com melhores condições, já que o mundo vive momentos difíceis. “Estou feliz, mas dizer feliz talvez ainda seja pouco, diante das dificuldades que encontramos e que enfrentamos todos os dias para cuidar das pessoas, como a gente diz no nosso meio da assistência social e dos colaboradores de trabalho da prefeitura e dos vereadores”.

Ele destacou a necessidade de reestruturar a rede de proteção social, que cuidava das pessoas em momentos de maior dificuldade. “Para todos nós que trabalhamos duro no dia a dia para melhorar a qualidade de vida do nosso povo e devolver para uma cidade melhor para se viver, não adianta nada a gente fazer qualquer coisa se a gente primeiro não arrumar a rede de proteção social dessa cidade para cuidar das pessoas em um mundo tão difícil. Campos não é uma ilha”.

Wladimir lembrou que, dentro da reestruturação da rede de proteção social, foi reaberto em abril do ano passado o Restaurante Popular que oferece de forma gratuita 1.500 refeições por dia. “É o único Restaurante Popular do Estado que fornece comida de graça. Quando nós entramos na Prefeitura e fomos olhar o número de pessoas em situação de extrema pobreza, foram encontradas 45 mil famílias em situação de extrema pobreza”.

O prefeito também falou que a ideia de lançar o programa surgiu de uma conversa com a primeira-dama Tassiana Oliveira, quando buscavam encontrar maneiras para ajudar mais pessoas, após abordagens feitas junto à população em situação de rua, junto à equipe técnica da secretaria. “Queríamos saber como poderíamos ir além e ajudar mais as pessoas que, de fato, precisam. Assim surgiu a ideia do programa. A gente começou a pesquisar e vimos outros modelos que funcionam em outras cidades e hoje está aqui. Essa é nossa demonstração de carinho, afeto e responsabilidade social”, ressaltou Wladimir.

A primeira-dama Tassiana Oliveira agradeceu a toda equipe técnica da Secretaria e ressaltou que, ao participar ativamente da área social, a missão de amar ao próximo se potencializa. “Muitas vezes, somos abordados por mães que estão em dificuldades e que solicitam o mínimo da nossa ajuda para que possam ter um parto com o mínimo de tranquilidade e dar a assistência necessária para os seus filhos. Muito feliz de estar aqui hoje vivenciando esse projeto”, disse Tassiana, lembrando que o projeto é mais uma etapa das ações que estão sendo desenvolvidas na área social.

A deputada federal Clarissa Garotinho falou sobre o cenário mundial e os reflexos para toda população, que vem sofrendo também com a elevação de preços como o petróleo, aumentando o preço dos combustíveis e do trigo, que refletiu diretamente no preço do pão. “É preciso que a gente entenda que o que está acontecendo hoje no Brasil não é um fenômeno isolado. Está acontecendo no mundo inteiro e é muito triste ver a população passar pela situação que está passando e a gente precisa de medidas emergenciais”.

“Temos compromisso com a vida e com as mães e esse Programa Mãe Coruja é só mais um passo que demonstra nosso compromisso. Quero desejar a todas que vocês aproveitem a principal herança de Deus, que são os nossos filhos, e que cuidem deles com muito amor”, destaca a parlamentar, que também anunciou que os recursos para as obras do novo Hemocentro Regional foram recuperados para que, após licitação, sejam retomadas.

“Última memória que nós temos desse benefício no município é de 2010. O auxílio natalidade é um benefício eventual, utilizado no momento da gravidez, desde que a gestante esteja referenciada e preencha os requisitos legais para o benefício. É um momento de muita felicidade para a gente esse programa”, destaca o secretário de Desenvolvimento Humano e Social, Rodrigo Carvalho, que se emocionou ao falar do programa.

O PROGRAMA – A previsão é que, por mês, 200 kits sejam distribuídos para gestantes beneficiadas. A adesão ao programa acontece a partir do 7º mês de gestação. O kit enxoval é composto por bolsa mochila, mamadeiras, trocador, macacão longo e curto, culote sem pé, body com manga e sem manga, casaquinho com capuz, cueiro, toalha de banho, edredom, meias de algodão, luva e uma banheira.

Entre as gestantes que participaram da solenidade, estava Ester da Silva, 21 anos, que está com 8 meses de gestação à espera de Ana Júlia. Desempregada e referenciada no CRAS de Travessão, ela ressaltou a importância do programa. “É muito importante porque a gente nunca teve isso e vai ajudar muitas mães também. No kit, tem tudo que a gente precisa”, afirma Ester.

Também participaram da solenidade secretários, os vereadores Marcione da Farmácia, Pastor Marcos Elias e Kassiano Tavares; além da subsecretária adjunta de Desenvolvimento Humano e Social, Mariana Barboza; o secretário executivo; Henrique Oliveira; a diretora de Proteção Social Especial, Maria Amélia Lopes e a diretora de Proteção Social Básica, Paloma Campos.

Subcom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.