27/05/2024
Polícia

Polícia deflagra operação contra furto de combustível da Transpetro; operação ocorre em Campos e região

Agentes da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público deflagram, nesta quarta-feira (26/07), a “Operação Exagogi” (que em grego significa “extração”). A ação tem como objetivo cumprir 47 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná e São Paulo. Os alvos são integrantes de uma organização criminosa especializada em furto de petróleo diretamente de dutos subterrâneos da Transpetro.

A operação também visa a identificar empresas receptadoras que adquiriram o produto desviado clandestinamente. Agentes de delegacias especializadas do Rio de Janeiro e representantes do Ministério Público do Paraná, de São Paulo e do Espírito Santo participarão da ação.

A investigação começou em 2019, quando os agentes receberam denúncias e informações de que três caminhões estavam circulando com óleo bruto furtado no bairro Beira da Lagoa, no município de Quissamã, Região Norte do Rio de Janeiro. Policiais militares foram ao local e localizaram duas carretas com o produto. Os motoristas confessaram o crime e informaram a localização do terceiro caminhão. Segundo a DDSD, a ação criminosa já estava sendo monitorada. Onze (11) pessoas foram presas na ocasião. De acordo com os agentes, os caminhões apreendidos armazenavam cerca de 100 mil litros de óleo bruto.

O trabalho de inteligência da especializada comprovou que a organização criminosa tinha uma hierarquia e divisão de tarefas estruturada. Três pessoas eram apontadas como líderes, sendo que uma cuidava da organização dos motoristas e batedores; outra tratava a logística da derivação clandestina e extração; e a terceira liderança ficava com a parte financeira e organizacional.

A quadrilha também contava com um especialista que auxiliava os soldadores na instalação da mangueira no duto; aliciadores, que buscavam profissionais que trabalhavam, principalmente, em plataformas de petróleo; soldadores; ajudantes, responsáveis por localizar e preparar o terreno no qual seria realizada a derivação e, também, auxiliar nos engates das mangueiras e nos caminhões; pessoas que forneciam notas fiscais falsas e comercializavam o óleo bruto com receptadores; fornecedores dos caminhões, entre outros. Ao todo, são 27 indiciados.

No Rio de Janeiro, os mandados são cumpridos em Sapucaia, Cabo Frio, Macaé, Quissamã, Pinheiral, Bom Jesus do Itabapoana, Carapebus, São João de Meriti, São Gonçalo, São Fidélis, Campos dos Goytacazes e Nova Friburgo, além dos bairros do Centro e Campo Grande, na capital.

Fonte: Com informações Polícia Civil

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *