Mobilidade Urbana e Acessibilidade são tema de audiência pública na Câmara de Campos

A Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes realizou, nesta quinta-feira (11), audiência pública com o tema “Eliminando Barreiras de Mobilidade Urbana e Acessibilidade”. A audiência foi realizada por requerimento da Comissão de Direitos Humanos e Minoria, que tem como presidente o vereador Leon Gomes (PDT), e como membros os vereadores Marquinho do Transporte (PDT) e Silvinho Martins (MDB).

Presidindo a mesa, Leon Gomes disse que a discussão busca encontrar soluções para mudar a realidade. “Estamos buscando garantir direitos e resgatar valores novamente. Inicio essa audiência pública que tem por objetivo falar sobre a eliminação de barreiras, tanto na questão da mobilidade quanto na acessibilidade urbana que é a nossa grande luta”, explicou.

Compuseram a mesa do evento a presidente da Associação de Pais de Pessoas Especiais (APAPE), Naira Peçanha, e a arquiteta Lígia Martins, que é servidora pública da Secretaria de Planejamento Urbano, Mobilidade e Meio Ambiente.

A arquiteta apresentou os desafios da acessibilidade no município. “Essa cidade tem que dar voz a todo mundo, tem que dar acesso a todo mundo. Então, o que fazemos? Como vamos consertar aquilo que de repente foi por anos e anos feito errado ou de uma maneira em que as pessoas não se ligavam que poderia ser feito de forma melhor?”, explicou Lígia Martins.

Ela falou sobre o Estatuto da Cidade, que assegura a atuação do Poder Público no atendimento das necessidades de todos os cidadãos quanto à qualidade de vida e à justiça social, e demais legislações que tratam sobre acessibilidade. Também foram abordadas as barreiras urbanísticas, nas edificações e sociais, que são empecilhos à mobilidade.

Vice-presidente da Associação da Pessoa com Nanismo em Campos e Região, Vivian apresentou as dificuldades de acessibilidade encontradas cotidianamente no município. Entre elas, o acesso a caixas eletrônicos, além do transporte público. “Estamos aqui para que todos abracem essa causa conosco, pelo futuro dos nossos filhos, e todas as causas de acessibilidade”, disse.

O presidente do Educandário São José do Operário, Raul Ferrarez, também citou as barreiras encontradas na área urbana. “Enquanto pessoa cega, a gente tem inúmeras barreiras nesta questão de acessibilidade e mobilidade. Como foi apresentado, no Centro da cidade a gente tem o piso guia e a gente vai caminhando e encontra o poste. Junto ao poste, às vezes tem bicicletas amarradas”, explicou.

Também participaram da audiência representantes do Instituto Sawana, Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Fundação da Infância e Juventude (FIA), Conselho da Firjan, Fundação Municipal da Infância e Juventude, Criaad de Campos, ONG Esporte Sem Fronteiras, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Associação de Proteção e Orientação aos Excepcionais (APOE), Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência e Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura. Também participaram os vereadores Pastor Marcos Elias (PSC) e Bruno Vianna (PSL).

Ascom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *