Governo do RJ prorroga medidas restritivas até 6 de outubro

O governador em exercício do RJ, Cláudio Castro (PSC), prorrogou, até o dia 6 de outubro, algumas medidas restritivas de prevenção e enfrentamento à propagação da Covid-19 no estado.

O decreto foi publicado em uma edição extra do Diário Oficial desta sexta-feira (18).

Segundo o decreto, seguem suspensas a realização de eventos com a presença de público, como shows, além da permanência nas praias.

Pelas próximas semanas, também fica proibido, aos sábados, domingos e feriados, o estacionamento de veículos particulares em toda a orla da cidade do Rio de Janeiro. Só poderão estacionar os proprietários de carros que morem na região.

Restrição a bares

O decreto mantém a alteração do funcionamento de bares e restaurantes, que podem continuar atendendo o público com metade da sua capacidade de lotação, até 1h, mas com a proibição do consumo de bebidas alcoólicas em ambiente externo depois das 22h.

Ficam autorizados os serviços de consumo de bebidas alcoólicas apenas para os clientes devidamente acomodados e sentados em mesas e cadeiras nas áreas internas e externas, respeitando o distanciamento mínimo de um metro.

Música ao vivo e sistema self-service seguem suspensos.

Retorno das escolas

A previsão de retorno das aulas na rede estadual de ensino, inclusive nas unidades de ensino superior, continua para o dia 5 de outubro.

A retomada acontecerá em regiões que permaneçam em baixo risco de contaminação pela Covid-19 por, no mínimo, duas semanas seguidas antes da data prevista para a abertura.

Reabertura de estádios

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou nesta sexta-feira (18) a volta do público aos jogos no Maracanã.

A primeira partida com torcida será no dia 4 de outubro, entre Flamengo e Athletico Paranaense, segundo o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos).

O jogo terá a presença de 20 mil torcedores, o que representa 1/3 da capacidade total do estádio. Essa é uma das regras da prefeitura para a volta dos torcedores ao estádio, de acordo com Crivella. .

A prefeitura informou que a abertura do Maracanã será um teste para a volta dos torcedores também aos outros estádios, como o Engenhão e São Januário, mas a data da reabertura não foi anunciada.

Índices pioram

A mais recente edição do Mapa de Risco da Covid-19, divulgada na quinta-feira (17), porém, mostra que houve piora em alguns índices relacionados à doença no RJ.

Nesta sexta (17), após 17 dias em tendência de queda ou estabilidade, a média móvel de mortes por Covid voltou a subir: 36%, na comparação com duas semanas atrás.

Pela primeira vez desde o pico da pandemia, na primeira quinzena de maio, houve aumento de internações no Município do Rio por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), segundo o governo do estado.

Também pela primeira vez, não houve queda sustentada de internações e de óbitos por coronavírus nas áreas identificadas pelo governo como Região Metropolitana 1 e 2, que englobam a capital, a Baixada Fluminense e a área de Niterói e São Gonçalo, que concentram 70% da população do RJ.

Bandeira amarela em oito regiões

Segundo a última nota técnica e o painel de indicadores sobre a pandemia de coronavírus, entre as nove regiões em que o estado é dividido, oito estão classificadas com bandeira amarela, que indica baixo risco para a doença: Metropolitanas I e II, Baía da Ilha Grande, Médio-Paraíba, Centro-Sul, Baixada Litorânea, Noroeste e Serrana.

Cerca de 94% da população fluminense encontram-se nestas regiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: