Gilmar Mendes nega liberdade a Dario Messer, o ‘doleiro dos doleiros’

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou conceder liberdade ao doleiro Dario Messer, que está preso no âmbito da Lava Jato do Rio de Janeiro desde julho. A decisão é de quarta-feira (6) e foi divulgada pelo Supremo nesta quinta (7).

Chamado de “doleiro dos doleiros”, Messer foi preso após ficar dois meses foragido. A prisão foi decretada em maio de 2018 na Operação Câmbio Desligo, mas só foi cumprida em 31 de julho, em São Paulo.

A investigação descobriu que doleiros movimentaram US$ 1,6 bilhão em 52 países. Dario Messer foi apontado como o principal alvo e denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por lavagem de dinheiro, evasão de divisas e participação em organização criminosa.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) já havia rejeitado o pedido de liberdade de Dario Messer.

Ao analisar o caso, Gilmar Mendes não viu constrangimento ilegal que indicasse necessidade de liminar (decisão provisória) para soltar o suspeito. O caso ainda terá julgamento definitivo na Segunda Turma do STF, mas não há previsão de data para isso.

Para Mendes, o STJ já havia apontado que o fato de Messer ter ficado foragido demonstra intenção de não cumprir a lei. “Após análise característica à cognição sumária, não vislumbro constrangimento ilegal manifesto a justificar o deferimento da medida de urgência.”

G1*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *