Ex-juíza levada para a política por Witzel e Pastor Everaldo ganha vaga no governo de Cláudio Castro

Afilhada política do ex-governador do Rio Wilson Witzel (PSC), a ex-juíza Glória Heloiza foi nomeada subsecretária estadual de Políticas para Mulheres pelo atual chefe do Executivo, Cláudio Castro (PL), com salário que gira em torno de R$ 16,5 mil. Candidata pelo PSC na última eleição, Glória abandonou a magistratura para concorrer à Prefeitura da capital em 2020, embalada pelo sucesso que Witzel havia registrado dois anos antes nas urnas.

Apesar disso, contabilizou apenas 0,52% dos votos válidos e teve que evitar a associação da própria imagem a Witzel, que àquela altura já se encontrava afastado do cargo e enfrentava o processo que culminou em seu impeachment.

Sem apoios e com o partido sendo investigado, a então candidata ficou mais conhecida pelo slogan de campanha que a apresentava ao eleitorado: “Quem é Glória?”, questionava a peça eleitoral.

Na reta final da disputa, ela contou com a parceria do ex-presidenciável Cabo Daciolo, com o qual chegou a subir o Monte das Oliveiras, na Zona Oeste do Rio, em busca de ajuda espiritual para atrair votos. O encontro rendeu memes compartilhados na internet.

A nomeação dela agrada o PSC, antigo partido de Castro, e com o qual ele ainda conta na aliança que visa as eleições do ano que vem.

De acordo com com o Portal Transparência do Governo, a antecessora de Glória no cargo, Cristiana Onorato, recebia salários em torno de R$ 16,5 mil. A Subsecretaria Estadual de Políticas para Mulheres fica no bojo da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. A pasta é conduzida por Matheus Quintal.

A indicação dele para o cargo teria partido de lideranças evangélicas do Republicanos — o que provocou reações adversas de lideranças de religiões afro-brasileiras, já que na estrutura da pasta também fica a Superintendência de Promoção da Igualdade Racial e Diversidade Religiosa.

A reportagem procurou Glória Heloiza para que comentasse a nomeação e falasse sobre os seus planos para a Subsecretaria. Até o momento, não houve resposta.

Apoiada por Witzel e Everaldo

Glória Heloíza se afastou formalmente da magistratura em março do ano passado para concorrer na eleição. Ela era juíza titular da 2ª Vara da Infância, do Adolescente e do Idoso no Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ).

Antes, em janeiro, a juíza já havia sido afastada de funções eleitorais pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), por conta do interesse em concorrer à prefeitura, que já vinha sendo ventilado desde o fim de 2019.

A filiação de Glória Heloíza ao PSC foi conduzida pelo Pastor Everaldo. Embora Witzel não tenha anunciado publicamente seu apoio à candidatura, a ex-juíza dizia que esperava uma sinalização do então governador “no momento certo” — o que acabou não acontecendo.

Apesar disso, em encontro com jornalistas realizado em 2020, Witzel chegou a enaltecer a ex-colega de toga. — É uma pessoa empolgada com o Rio, que gosta de carnaval. É religiosa, tem um bom perfil. É uma grande candidata, com vocação para ajudar, atuou na adoção [na Vara da Infância]. Tem grande potencial. Até porque é magistrada e mulher — declarou na ocasião.

Fonte: O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *