Conexões políticas de Beira-Mar

Condenado a mais de 200 anos de prisão por tráfico internacional de drogas, de armas, homicídios, entre outros crimes, Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, de 51 anos, diz que sua família é envolvida há mais de 40 anos na política de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, e que seus parentes dão expediente na Câmara Municipal da cidade há 30 anos.

Em entrevista ao programa Câmera Record, da TV Record, no fim da noite de domingo, Beira-Mar afirmou que já se encontrou com diversos políticos, de vereadores a governadores, mas não citou nomes.

Em 2017, operação da Polícia Federal comprovou que Beira-Mar se comunicava com criminosos fora da cadeia, por meio de bilhetes.

À época, descobriu-se que Elizete da Silva Lira, ex-mulher; a atual companheira de Beira-Mar, Jacqueline da Costa; a sua sogra Edite de Moraes, a irmã do traficante Alessandra da Costa e dois filhos de Beira-Mar, Luan e Felipe da Costa, eram assessores de vereadores da Câmara de Duque de Caxias e davam expedientes esporadicamente no local. Todos eles estão agora presos.

Como infiltra parentes na administração pública? “Se você é um candidato a deputado estadual, por Duque de Caxias, você vai procurar (votos) na comunidade que eu nasci e me criei. Alguns traficantes que estão lá são meus amigos. Você só entra se tiver um conhecimento. Depois que você é eleito, você tem que manter sua base de apoio. Como? Você escolhe uma pessoa da comunidade e dá um cargo”, explicou.

Fonte: Meia Hora

Leia também: “A gente sabia que o cara era um pilantra”, diz Beira-Mar sobre Sérgio Cabral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *