TJ suspende direitos políticos de Garotinho; ex-governador contesta a informação da Globo

O desembargador Ricardo Cardozo, do TJ-RJ, determinou a inclusão do nome de Anthony Garotinho no cadastro de “condenados por ato de improbidade administrativa e por ato que implique inelegibilidade”.

O ex-governador, pré-candidato pelo PRP, é acusado de desviar R$ 234 milhões da Secretaria Estadual de Saúde entre 2005 e 2006, quando a sua mulher, Rosinha, governava o estado. Parte do dinheiro, diz o MP, abasteceu a pré-campanha dele à Presidência em 2006.

A Justiça de primeira instância condenou Garotinho e mais de 30 réus a devolver R$ 234 milhões e suspendeu os direitos políticos dele por oito anos.

A 15ª Câmara Cível do TJ negou a apelação do ex-governador, e no último dia 16 o desembargador o incluiu no cadastro de condenados.

A informação foi divulgada pelas organizações Globo na noite de ontem.

Através de live no facebook, o ex-governador contestou a decisão. Garotinho afirmou que não foi candidato em 2006, os advogados não foram intimados para fazer a defesa e estranha a decisão que ocorre na semana das convenções para as eleições de outubro. A decisão também não tem efeito imediado.

Assista abaixo:

De sua opinião