15/06/2024
Esporte

Vasco consegue liminar para afastar 777 Partners do controle da SAF do clube

Vasco volta a ser gerido pelo clube social — Foto: Antônio Scorza

Em decisão da 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, na noite desta quarta-feira, a parte associativa do Vasco da Gama conseguiu liminar para afastar o fundo empresarial 777 Partners do comando da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) do clube. O Vasco é representado pelo escritório Salomão Advogados.

Ao analisar os argumentos apresentados pela associação, o juiz Paulo Assed Estefan suspendeu o contrato de investimento e o acordo de acionistas firmado entre a 777 e o Vasco, em 2022, devolvendo assim o controle da Vasco da Gama Sociedade Anônima do Futebol à parte associativa, cujo presidente é o ex-jogador Pedrinho.

Na sua argumentação, o magistrado considerou como graves os problemas financeiros apresentados pela 777, isto após o Vasco apresentar documentos que comprovam o atraso em repasses devidos pelo fundo comandado por Josh Wander.

“A empresa que prometera a salvação através de vultoso aporte de capital e recuperação da sede vascaína (Estádio de São Januário), hoje apresenta-se com situação financeira deficitária e incapaz de cumprir com aquele anúncio e pondo em risco a viabilidade da SAF, principalmente quando se foca no êxito futebolístico”, diz a decisão.

Entenda o caso…

A disputa foi parar na Justiça após o Vasco não receber dos diretores do fundo americano a certeza de que os investimentos previstos no contrato da SAF serão honrados. Foram duas as notificações judiciais enviadas, uma delas pedindo garantias de que o aporte de R$ 300 milhões, previsto para setembro, será concretizado.

Também há preocupação da parte associativa sobre o risco de troca do comando da empresa americana, de acordo com informações da ação de um fundo inglês contra a 777 nos EUA.

Fonte: Blog do Ancelmo Gois, O Globo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *