17/06/2024
Política

Secretário de Duque de Caxias é preso pela PF em operação que mira fraude em cartões de vacina

O secretário municipal de Governo de Duque de Caxias (RJ), João Carlos de Sousa Brecha, foi preso pela Polícia Federal (PF) na manhã desta quarta-feira (3), suspeito de participar de um grupo que, segundo as investigações, fraudou cartões de vacinação da Covid-19 durante o governo de Jair Bolsonaro (PL). Ele é um dos seis alvos da Operação Venire.

O ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, tenente-coronel Mauro Cid Barbosa, também está entre os presos, assim como o policial militar da reserva Max Guilherme Machado de Moura.

Essa suposta falsificação teria o objetivo de garantir a entrada de Bolsonaro, familiares e auxiliares próximos nos Estados Unidos, burlando a regra de vacinação obrigatória. A PF ainda investiga a situação de outros membros da comitiva, como a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Até o momento teriam sido presos quatro alvos da operação:

  • o coronel Mauro Cid Barbosa, ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro;
  • o policial militar Max Guilherme, que atuou na segurança presidencial;
  • o militar do Exército Sérgio Cordeiro, que também atuava na proteção pessoal de Bolsonaro;
  • o secretário municipal de Governo de Duque de Caxias (RJ), João Carlos de Sousa Brecha.

Leia mais:

Polícia Federal faz buscas na casa de Bolsonaro e prende ex-ajudante Mauro Cid em operação contra dados falsos de vacina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *