PL vai para oposição e Bolsonaro é convidado a ser presidente de honra - Tribuna NF

PL vai para oposição e Bolsonaro é convidado a ser presidente de honra

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

O presidente do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto, afirmou que a sigla será oposição ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e convidou Jair Bolsonaro (PL) para a presidência de honra do partido. A declaração foi feita durante entrevista coletiva nesta terça-feira (8), em Brasília.

“O PL não renunciará às suas bandeiras de ideais, será oposição aos valores comunistas e socialistas, será oposição ao futuro presidente”, disse.

Segundo Costa Neto, Bolsonaro “devolveu ao nosso povo o orgulho de ser brasileiro”, fazendo a economia crescer e gerando empregos. Ele acrescentou que o PL continuará “continuará na busca por uma nação unida pela liberdade, verdade e fé”.

“Nos sentiríamos muito felizes se o presidente Bolsonaro assumisse a presidência de honra do Partido Liberal”, destacou.

“Nós queremos que ele comande o nosso partido. Queremos o Bolsonaro à frente dessa luta que ele construiu para levar o nosso partido a um patamar mais importante”, adicionou. O presidente do PL afirmou que foi “graças a Bolsonaro” que o partido construiu a maior bancada de deputados federais e senadores.

Sobre os protestos de apoiadores de Jair Bolsonaro que não aceitam a vitória de Lula nas eleições 2022, ele pontuou que “têm o nosso apoio”.

“O que o presidente deixou claro é que não podemos fazer um movimento que traga prejuízo para o país, que proíbam o ir e vir. Agora, os que estão fazendo movimento dentro da lei, sem atrapalhar a vida de ninguém, têm o nosso apoio”, explicou.

Ao mesmo tempo, o partidário reconheceu que Bolsonaro “teve uns tropeços no primeiro ano e meio de mandato”, mas que adquiriu experiência. “Bolsonaro nunca foi um político nato, sempre foi independente na Câmara. Teve uns tropeços, vacina, essas coisas, mas depois pegou”, ponderou.

Costa Neto também ressaltou que o PL irá apoiar Arthur Lira, mas “com a garantia que ele nos ajude e trabalhe para eleger nosso candidato no Senado”.

Quando questionado como o partido agirá em relação à PEC de Transição proposta pelo governo petista, ele destacou que Bolsonaro afirmou, em conversa entre ambos, que a pauta deve ser levada à bancada e decidida em conjunto, mas que, se for do interesse do país, votarão a favor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *