Dario Messer, o ‘doleiro dos doleiros’, é condenado a 13 anos de prisão na Lava Jato pelo TRF-2

Dario Messer, o “doleiro dos doleiros”, foi condenado em segunda instância pela Justiça Federal a 13 anos de prisão, em regime inicial fechado, pelo crime de lavagem de dinheiro. A condenação foi nesta quarta-feira (8), no processo da Operação Marakata, desdobramento da Lava Jato no Rio.

Messer ainda é réu em pelo menos mais 5 ações penais na Lava Jato.

O doleiro teve a prisão decretada em maio de 2018, junto com outros investigados na Operação Câmbio Desligo, mas permaneceu foragido até ser preso em julho de 2019.

Por ordem do Superior Tribunal de Justiça, desde abril de 2020, ele está em preso em regime domiciliar fechado com tornozeleira eletrônica, por se enquadrar no grupo de risco para Covid. A decisão do STJ determina que ele fique em prisão domiciliar até o fim da pandemia.

O acordo de delação premiada de Messer prevê que o doleiro fique preso em regime fechado nos primeiros 3 anos de pena, contados a partir da prisão dele na Lava Jato, em 31 de julho de 2019. Com isso, a partir de agosto deste ano, Messer já poderá sair de casa sem autorização da Justiça.

No julgamento desta quarta, os desembargadores da 1ª turma do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) aceitaram o pedido da defesa de Messer para descontar a multa estipulada na condenação da primeira instância, de R$ 4 milhões, do total já devolvido pelo doleiro em seu acordo de delação premiada, de quase R$ 1 bilhão.

Ou seja: na prática, ele não terá que pagar mais nada.

A defesa de Dario Messer não quis se manifestar sobre a condenação do doleiro.

G1*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.