'Bando de ladrão', diz traficante ao contar a integrante da quadrilha que policiais civis roubaram cocaína - Tribuna NF

‘Bando de ladrão’, diz traficante ao contar a integrante da quadrilha que policiais civis roubaram cocaína

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

Investigado pela Polícia Federal, o traficante Leonardo Serro dos Santos, conhecido como Jonny ou Carioca, não se controlou e enviou, em 2020, mensagem para um integrante da quadrilha ao ser informado que policiais civis da 25ª DP (Engenho Novo) apresentaram à imprensa 220 kg de cocaína:

“Roubaram 280. Bando de ladrão fdp. Mas eles não sabem com quem estão brincando. Já estão vindo advs (advogados) para o RJ.”

De acordo com o plano da quadrilha de traficantes, monitorado pela Polícia Federal (PF), a ideia dos criminosos era enviar 500 kg de cocaína para a Itália, em 16 malas, através do Porto do Rio. A droga seria inserida em contêineres na área portuária.

Leonardo Serro é procurado pela PF desde 2020. Ele é um dos investigados por um esquema de envio de cocaína para a Europa através do Porto do Rio.

Nesta sexta-feira (20), a Polícia Federal realizou buscas na casa de quatro policiais civis, entre eles, o delegado Renato dos Santos Mariano. Eles são suspeitos de abordarem na Avenida Brasil, em um dos acessos ao Complexo da Maré, o caminhão que levava a cocaína.

O veículo foi levado para a 25ª DP. Ao chegar ao local, os policiais não perceberam que haviam sido seguidos por um motoqueiro dos traficantes que atuaria como “batedor” da droga até o porto.

Assim que o caminhão foi estacionado diante da delegacia, o motoqueiro enviou para Jonny a foto do veículo. Até então, os criminosos acreditavam que alguém havia denunciado o carregamento aos policiais.

Com a apresentação de parte da droga veio a surpresa do grupo: os policiais civis mostraram apenas nove malas.

O delegado Renato Mariano explicou a apreensão na época:

“Temos investigação em andamento na delegacia e nosso núcleo de inteligência identificou a possibilidade desse transporte, dessa carga ilícita. Conseguimos localizar, interceptar e quando da abertura do contêiner, para nossa surpresa havia em seu interior somente sete bolsas que dentro das quais 203 tabletes de cocaína pura.”

A partir deste momento, a equipe da Polícia Civil passou a ser investigada pela Polícia Federal. Além do delegado Renato dos Santos Mariano, os outros investigados são os policiais Hugo de Novaes Almeida, Ricardo Mendes Floriano da Silva e Cláudio José Silveira.

A Justiça determinou o bloqueio de R$ 5 milhões do grupo. Este seria o valor que os policiais arrecadaram com a venda da droga. Os agentes terão que andar com tornozeleira eletrônica até o fim das investigações.

Três carros, duas motos, R$ 70 mil em dinheiro, telefones celulares e documentos também foram apreendidos.

O que dizem as autoridades e o citado

A Corregedoria-Geral de Polícia Civil disse que instaurou procedimentos internos disciplinares.

A Polícia Civil afirmou que repudia qualquer tipo de desvio de conduta e atividade ilícita, e que reitera seu compromisso no combate à criminalidade.

O RJ2 tentou contato com o delegado Renato dos Santos Mariano, mas não teve retorno.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *