28/05/2024
Política

Adriana Belém é solta no Rio

A delegada aposentada Adriana Belém foi solta na tarde desta quarta-feira (19). Ela vai responder em liberdade ao processo que apura a relação entre agentes públicos com o jogo do bicho. Ela teve a prisão revogada na terça (18).

De acordo com investigações do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), Adriana estaria envolvida na liberação de caminhões com máquinas caça-níqueis.

Adriana estava presa desde maio, na Operação Calígula, que teve como alvo uma rede de jogos de azar. Os agentes encontraram cerca de R$ 1,8 milhão em dinheiro vivo na casa da delegada. Além disso, um dos motivos que a mantiveram presa na época foi o risco, apontado pelos promotores do MPRJ, de que ela interferisse nas investigações se estivesse solta.

A decisão, do juiz Bruno Monteiro Ruliere, da 1ª Vara Especializada Criminal, mantém o afastamento de Adriana Belém de funções públicas, mas afirma que a prisão preventiva “atingiu os fins acautelatórios almejados”. Ele lembra que Adriana foi aposentada pela Polícia Civil no início do mês.

Ele determinou que:

  1. A delegada deve manter o endereço atualizado nos autos;
  2. Adriana fique suspensa do exercício de quaisquer funções públicas de natureza política, cargo ou função comissionados, bem como a direção ou assessoramento de entidades autárquicas ou fundacionais, empresas públicas ou sociedades de economia mista, bem como as permissionárias e concessionárias de serviço público;
  3. Ela esteja proibida de contato, inclusive por meios eletrônicos, com os demais acusados e testemunhas (deste processo e conexos).

Operação Calígula

A Operação Calígula, que teve a prisão da delegada, mirou uma rede de jogos de azar comandada pelo bicheiro Rogério de Andrade. Durante buscas, foram localizados R$ 1.768.100 na casa de Adriana. Um carro que teria sido dado pela delegada a um sobrinho, pago com dinheiro vivo, também foi alvo da investigação.

Adriana Belém respondia a dois processos no caso: um por lavagem de dinheiro — a prisão relativa a esse processo foi revogada em setembro — e outro por supostamente ajudar a viabilizar a retirada em caminhões de quase 80 máquinas caça-níquel apreendidas em casa de apostas da organização criminosa.

A defesa de Adriana Belém informou que a delegada é inocente e que será absolvida dos processos movidos contra ela.

“A defesa reitera que Adriana Belém é inocente e será absolvida das injustas imputações que recaem sobre ela. A prisão de Adriana sempre se revelou injusta e agora a Justiça reconhece a desnecessidade da medida, o que a defesa sustentou desde o momento em que a prisão ocorreu.”

G1*

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *