SJB com risco médio de infestação do Aedes aegypti

Resultado do Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), realizado em São João da Barra entre 17 e 23 de outubro, é de 1,0, apontando risco médio (situação de alerta) para a infestação do mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela.

O levantamento, realizado pelo Núcleo de Controle de Zoonoses (NCZ) e supervisionado pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, mostra o município no limite entre a classificação de baixo risco, que é até 0,9. A classificação média se mantém até 3,9 e acima de 4,0 o risco é considerado alto.

Devido ao período mais chuvoso após o término do inverno, o NCZ considera dentro da normalidade o índice, mantendo o município controlado em relação a casos das doenças relacionadas ao Aedes aegypti, não havendo nenhum registro em 2021.

O trabalho realizado pelo NCZ acontece de forma permanente, com 70 agentes realizando visitas a imóveis em um ciclo bimestral com média de 98% de cobertura. Também é feito o trabalho permanente de monitoramento de bueiros, áreas alagadas, borracharias, recicladoras e piscinas abandonadas.

Soltura de peixes larvófagos em locais alagados, pulverização de inseticida no combate ao mosquito adulto através do carro fumacê em vias públicas e bomba costal em locais onde o fumacê não pode atuar são outros meios utilizados pelo NCZ no combate ao mosquito.

Ascom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *