Simpósio celebra 2 anos do CAAC que funciona no Hospital Ferreira Machado - Tribuna NF

Simpósio celebra 2 anos do CAAC que funciona no Hospital Ferreira Machado

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

O prefeito Wladimir Garotinho, acompanhado da primeira-dama Tassiana Oliveira, participou do 1º Simpósio do Centro de Atendimento ao Adolescente e à Criança Vítima de Violência (CAAC), que teve como tema “Dois Anos de Desafios e Conquistas”. O evento aconteceu na sede do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) em Campos e foi presidido pela promotora de Tutela Coletiva da Infância e Juventude, Anik Rebello Assed Machado, palestrante do primeiro dos quatro painéis do Simpósio. O Centro funciona no Hospital Ferreira Machado (HFM).

“Hoje comemoramos os dois anos de existência do CAAC, uma iniciativa em conjunto do Ministério Público, Polícia Civil e do município de Campos. Qualquer criança e adolescente que sofrer abuso sexual tem um lugar específico para que ela possa ter todo o atendimento multidisciplinar. Além da capital, Campos é a única cidade do estado que possui este centro completamente integrado”, comentou o prefeito Wladimir Garotinho.

O painel apresentado pela promotora Anik foi sobre “A Importância do CAAC como ferramenta de Articulação da Rede de Proteção à Infância e à Juventude”. Ela ressaltou que “a sensibilidade dos gestores dos últimos dois anos à causa da criança e do adolescente resultou no equipamento como poucos no estado do Rio”, ressaltou.

A primeira-dama Tassiana Oliveira considera que a implantação do CAAC em Campos passou a ser referência no estado devido ao empenho e sensibilidade de vários atores públicos sobre a importância da prevenção e da proteção da criança e do adolescente, vítimas da violência sexual. “Trabalhamos juntos para que Campos tivesse esse Centro, um local onde se reúne todos os procedimentos legais na apuração do crime e no atendimento médico e psicológico, de forma a evitar que a vítima seja constrangida a comparecer em diversos locais, situação que para algumas crianças se tornavam traumáticas”, observa Tassiana.

Participaram, ainda, do Simpósio a coordenadora do CAAC, Alice Alves Faria; o superintendente Administrativo do HFM, Gilberto Nunes; a assistente social do Programa de Saúde na Escola na Proteção das Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência Sexual no Âmbito Escolar, Francelyne da Silva de Assis, além de conselheiros tutelares.

Secom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *