SFI: Parceria entre Agricultura e Universidade Estácio de Sá em projeto de nutrição animal

A Prefeitura de São Francisco de Itabapoana (SFI), através da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, está buscando uma parceria com a Universidade Estácio de Sá (Unesa), por intermédio de um projeto de nutrição animal da instituição de ensino. A primeira reunião para tratar do assunto ocorreu na sexta-feira (4), no Espaço do Produtor, no Centro da cidade, com representantes do município e da Unesa.

“O objetivo é trazer os alunos do Curso de Veterinária, inclusive alguns que moram em SFI, para dentro do Espaço do Produtor. A gente vai trabalhar com a questão da silagem (forragem verde, suculenta, conservada por meio de um processo de fermentação com microrganismos que vivem sem oxigênio). Estamos desenvolvendo um projeto de sanidade no gado com a vacinação de aftosa e raiva e agora iremos imunizar também em relação à brucelose. Paralelo a isso, a gente quer resgatar a qualidade do leite dos tanques comunitários e a nutrição vem para complementar essa cadeia. São investimentos no setor agropecuário atendendo à determinação da prefeita Francimara Barbosa Lemos”, ressaltou o secretário da pasta, Enaldo Barreto.

A veterinária Paula Barbosa, responsável pelo projeto de nutrição animal da Unesa, classificou a reunião como “muito proveitosa”, destacando que será um trabalho bem interessante para acontecer e que SFI tem muito a crescer.

“Visamos capacitar o produtor para a produção de silagem e os nossos alunos serão os responsáveis pela capacitação. Vamos levar tecnologia através de oficinas ministradas no próprio município. Estamos na fase inicial do projeto e a partir da assinatura do convênio, a previsão é para que em outubro ou novembro deste ano comecem as aulas”, informou Paula, acrescentando:

“O grande diferencial de quem trabalha com silagem de forma correta é não perder dinheiro no período entre uma safra e outra e também em época de estiagem. Geralmente não existe um planejamento prévio e quando não chove regularmente, o produtor fica sem pastagem de capim para os animais. Aí o rebanho acaba emagrecendo, aumentando o tempo para chegar ao ponto de abate ou perde a produtividade no caso de gado leiteiro. Vamos ensinar a produzir silagem da maneira certa, com técnica e planejamento”.

O secretário de Governo e Relações Institucionais, Jairo Batista, que também participou da reunião, a exemplo do coordenador das ações da Secretaria de Agricultura junto ao produtor, Marcos Lucahe, revelou que vai agendar com a prefeita Francimara uma data para a apreciação do projeto. “Acredito que após análise e ocorrendo a aprovação da prefeita, num prazo de 15 dias haverá a assinatura do convênio”, estimou o secretário.

AsCom SFI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *