SFI: Força-tarefa da prefeitura visita localidades e auxilia famílias afetadas pelas fortes chuvas

O intenso temporal que caiu nos últimos dias na região deixou rastros, alagou casas e causou transtornos e prejuízos para muitos moradores de São Francisco de Itabapoana (SFI). Para auxiliar famílias que estavam em situação de risco e vulnerabilidades por conta das chuvas, a prefeitura realizou nesta terça-feira (23) uma força-tarefa com diversos representantes do Governo.

A chefe de Gabinete, Franciléa Azeredo, liderou a equipe e destacou o objetivo da iniciativa. “A prefeita Francimara Barbosa Lemos pediu prioridade para atender as famílias em situação de risco. Nossa intenção é minimizar os efeitos causados às pessoas pelas fortes chuvas. Por isso, estamos visitando os pontos mais afetados para fazermos uma triagem dos locais e organizarmos uma logística de ações que melhor atendam as localidades prejudicadas”, informou.

A prefeita Francimara também falou da finalidade da ação. “Como nosso município é muito descentralizado e há lugares bem difíceis de acesso, foi necessária a organização da força-tarefa para chegar até essas famílias e contribuir de alguma forma para amenizar os impactos negativos que as fortes chuvas ocasionaram. Caso alguém não tenha sido atendido ainda, pedimos que as pessoas busquem o Cras mais próximo de sua localidade para receberem orientação e ajuda”, orientou.

De início, foram visitadas as localidades de Travessão de Barra, Praça da Fé, Ladeira das Pedras, Ilha dos Mineiros, Pedregal e Praça João Pessoa. De antemão, cerca de 15 famílias foram atendidas, sendo cinco afetadas e três desalojadas. Foram distribuídas cestas de alimentos, travesseiros e cobertores, além de transmitidas orientações para buscarem atendimento no Centro de Referência e Assistência Social (Cras) da comunidade.

Durante o percurso, a equipe encontrou ruas inteiras alagadas com residências tomadas pelas águas. Assustados com o temporal que ocorreu durante o final de semana, moradores relataram que há mais de 40 anos não se via tanta destruição na localidade.

Segundo informações da dona de casa Aldeni Póvoa Oliveira, que mora em Praça da Fé há quase 60 anos, foi necessário usar a bomba da Associação das Fábricas de Farinha para retirar centenas de litros d’água em sua residência. “Dentro da minha casa tinha tanta água, que a bomba ficou funcionando das 15h até as 23h para retirar todo o excesso”, contou.

O autônomo Genedilson da Penha Santos, da mesma localidade, também trouxe mais informações sobre os danos causados pelo temporal. “A chuva foi muito rápida e mesmo usando sacos de areia, alagou muitas casas. Aqui teve casa que perdeu tudo, famílias que colocaram todos os móveis em cima de tijolos e residências que, usando a bomba da Associação, retiraram de oito a 10 tanques de mil litros cheios de água de dentro de suas casas. Muito triste”, lamentou.

Levantamento preliminar
Para cumprir o papel social, a Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Humano (SMTDH) encaminhou a assessora técnica Nágila Coutinho e a assistente social Regina Penha para integrarem a força-tarefa. Juntas, elas realizaram um levantamento preliminar das famílias em situação de risco e também pediram às pessoas afetadas que buscassem apoio no Cras. “É uma forma de dar continuidade ao atendimento. Lá elas serão recebidas por uma equipe técnica, que dará todas as orientações necessárias, em caso de inclusão em algum programa social”, disse Nágila.

Em Praça João Pessoa, a equipe foi recebida pelo vereador Josimásio Ferreira Higino (Mazinho da Banda), que levou os representantes do Governo aos locais mais afetados pelas cheias. Ao visitar a residência do agricultor Luiz Gonçalo, 42 anos, foi observada uma imensa vala formada pela força da água durante as chuvas.

Na ocasião, o agricultor também relatou as razões que levaram a sua casa a encher d’água. “Uma vala de manilha foi trancada porque construíram casas pelas proximidades. Por causa disso, a água não tem para onde escoar por que a saída foi fechada. Daí vem parar tudo aqui”, contou.

O coordenador da Defesa Civil, Luiz Antônio Beyruth, da secretaria de Meio Ambiente, auxiliou na triagem das famílias e supervisionou as entregas dos materiais. Durante sua atuação, Beyruth pontuou as ações que prosseguirão. “A prefeitura tenta ao máximo auxiliar os afetados, razão pela qual estamos fazendo essa força-tarefa. Daremos continuidade essa semana e se caso as chuvas fortes voltem e as famílias não tenham onde ficar, nossa última instância é removê-las para um ponto de apoio mais próximo”, revelou.

Para reforçar o trabalho durante as visitas às comunidades, também participaram da força-tarefa a secretária particular do gabinete, Joana Ramos, o coordenador de departamento da SMTDH, Júnior Junqueira, e o secretário de Turismo, Indústria e Comércio, Márcio Calixto.

Ascom SFI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *