Secretaria de Saúde do RJ autoriza aplicação de segunda dose da Pfizer para cidades sem estoque de AstraZeneca

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro autorizou as cidades que estão sem estoque da vacina da AstraZeneca a aplicar uma segunda dose do imunizante da Pfizer. Especialistas afirmam que a combinação é segura e pode evitar que as cidades suspendam a segunda dose quando acabar com a vacina, como aconteceu em Niterói na semana passada.

A combinação de vacinas também é autorizada para pessoas que tiveram uma reação forte ao tomar a primeira dose da AstraZeneca.

O secretário de saúde, Alexandre Chieppe, destacou que a autorização atende a uma demanda dos municípios e esclarece que a decisão foi tomada em conjunto e com base em evidências científicas.

“Para não causar nenhum prejuízo a estas pessoas, principalmente em um cenário de circulação da variante delta, está autorizado, em caráter excepcional, naqueles municípios com falta da segunda dose da AstraZeneca, a aplicação da Pfizer. Não há prejuízo nenhum. Prejuízo seria se estas pessoas ficassem sem a segunda dose”, afirmou Chieppe.

Um estudo publicado na revista Nature já mencionou sobre a possibilidade de combinação de vacinas, afirmando que a resposta imunológica é semelhante ou até melhor que as duas doses da mesma vacina.

“Existe nenhum risco em relação a fazer isso e a eficácia parece ser melhor quando você mistura as vacinas. Vários outros municípios e cidades vão utilizar esta mistura até para que consiga acelerar a vacinação sem ter que parar por causa da falta de uma determinada vacina”, disse o médico infectologista Alberto Chebabo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *