Saúde apresenta 1º Relatório Quadrimestral de 2021 na Câmara Campos

A Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes realizou audiência pública na manhã desta sexta-feira (28), para a apresentação do Relatório de Gestão do 1º Quadrimestre de 2021, da Secretaria Municipal de Saúde do Município. O presidente da Câmara, Fábio Ribeiro, leu o Aviso Público 006/2021 convocando para o evento.

O secretário Municipal de Saúde e presidente da Fundação Municipal de Saúde, Adelsir Barreto, realizou a abertura da apresentação. “Nós estamos iniciando o ano empenhados em buscar os melhores resultados para entregar assistência à população de Campos e estamos aqui para apresentar os feitos dos quatros primeiros meses”, disse.

A Execução Orçamentária e Financeira das Receitas e Despesas foi apresentada de forma resumida pela subsecretária adjunta de Finanças, Liana Pontes. De acordo com a apresentação, o total de recursos federais foi de R$ 53.666.979,38, de recursos estaduais foi de R$ 68.773.432,99, de recursos municipais foi de R$ 112.941.607,95 e de outras operações de crédito foi de R$ 128.113,61. Em seguida, foi apresentado o detalhamento das Receitas Federais.

Já o total de despesas empenhadas foi R$ 535.665.267,81 e o total de despesas pagas foi de R$ 184.876.812,28.

Diretora de Auditoria, Controle e Avaliação, Bruna Araújo apresentou a Rede física de Serviços de Saúde, que inclui 12 unidades Básicas, 19 Estratégia da Famílias, além dos Programas Estratégicos, Programas Especiais, Centros de Referência, Saúde Mental e Saúde Bucal. Na Vigilância em Saúde, foi apresentada a Vigilância Epidemiológica, Sanitária e Ambiental.

Já os serviços de Média e Alta Complexidade incluem as Unidades Pré-Hospitalares, os Hospitais Gerais, as Instituições Contratualizadas e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. A diretora apresentou a produção de Consultas e Procedimentos da Atenção Básica, de Média e Alta Complexidade. Também foi apresentado o valor pago às Unidades Contratualizadas, sendo o total de R$ 17.971.320,55 e o total de complementação R$ 26.532.651,76.

Bruna Araújo também explicou que, no período, foram executados 153 atos de auditorias, sendo 134 concluídas e 19 em aberto, para averiguar diversas demandas.

O diretor de Atenção Básica, Rodrigo Carneiro, abordou os indicadores da Saúde. Ele explicou que são 36 no total. “Boa parte deles vão representar públicos específicos e como está sendo a assistência a esse público. Eu já adianto que, em uma parte dele, temos uma dificuldade em extrair informações pelo desvio dos profissionais de Saúde, devido à pandemia”, esclareceu.

“A boa notícia é que nós já estamos recebendo de volta na Atenção Básica e na Vigilância profissionais que foram desviados para setores de atendimento à Covid. A gente espera que no próximo quadrimestre, se a pandemia permitir, a gente consiga repor todo o nosso recurso humano que está desfalcado”, pontuou.

Ele ainda explicou que, dentre os indicadores em que foi possível extrair informações, em boa parte está sendo cumprida a meta. Na proporção de registro de óbitos com causa básica definida, o município está acima da média, assim como na proporção de análises realizadas em amostras de água para consumo humano quanto aos parâmetros coliformes totais, cloro residual livre e turbidez.

Em dois indicadores o município está abaixo da meta: na razão de exames citopatológicos do colo do útero e mamografia. Como estratégia para atingir a meta, Rodrigo Carneiro explicou que está sendo aumentada a oferta, atrelando um exame ao outro.

“Mesmo com a pandemia, a gente está conseguindo abrir novos serviços que não estão relacionados com a pandemia, mas, principalmente, que podem auxiliar os munícipes no combate à mesma. Um grande exemplo é o Consultório na Rua, que é um programa federal que implementamos na cidade no início do ano”, disse. O programa presta atendimento in loco às pessoas vivendo em situação de rua e já iniciou a vacinação contra Covid-19 dessa população. Também foi apresentado o Programa Saúde da Mulher, Criança e Adolescente.

Diretora do Programa de Saúde Mental, Lana falou da pasta que teve 273 atendimentos e 95 atendimentos a familiares, além de 11 adolescentes acolhidos. Entre os indicadores, o atendimento médico e profissional nível superior no total foi de 10.981.

A diretora do Saúde de Atenção Domiciliar, Hellen Espírito Santo, informou que hoje este serviço possui 164 pacientes cadastrados, sendo que o número é variável. Coordenadora do Programa Saúde da Escola, Cátia de Melo abordou as ações realizadas mesmo durante a pandemia.

“Com o fechamento das escolas, o programa precisou ser totalmente reestruturado, e nossas ações foram todas ressignificadas. A partir daí, nós exploramos bastante as redes sociais, criamos duas formas de comunicação com o público, com produção diária de materiais”, explicou Cátia de Melo. No período foram 123 materiais produzidos, alcançando 13.063 visualizações. Também foram organizados webinários.

Coordenador do Departamento de Odontologia, José Luiz explicou que a rede física estrutural foi encontrada com muitos problemas. “Mas estamos tentando evoluir para corrigir esses problemas e ao lado disso temos a pandemia que limita muito o atendimento odontológico”, esclareceu. Ele apresentou os programas existentes das unidades de Saúde do município, que continuam funcionando dentro dos parâmetros de prevenção à Covid-19.

Os números da Vigilância em Saúde foram apresentados pelo diretor Rodrigo Carneiro, que falou sobre o atendimento a pacientes com DST/HIV/AIDS, hepatites virais e doenças infecto-parasitárias. Ele destacou a baixa procura dos pacientes em virtude da pandemia, informando que será preciso realizar uma busca ativa.

Também foi demonstrado o trabalho da Vigilância Sanitária, com cadastro e inspeção de estabelecimentos, além de atividades educativas para a população com orientações. No período, foram apreendidos 2.933kg de alimentos.

Na Vigilância Epidemiológica, Rodrigo Carneiro abordou a cobertura vacinal. “Temos números que devem melhorar. A cobertura vacinal no município está aquém do que a gente deseja. Normalmente as vacinas têm de 80 a 85% de meta de cobertura, nós infelizmente estamos abaixo disso e isso é muito justificado pela transferência de recursos humanos em concomitância com duas campanhas nacionais de altíssima procura: Covid e Influenza”, disse.

O diretor falou sobre o Programa Municipal Saúde do Trabalhador, Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, Programa de Controle à Tuberculose, Programa de Controle à Hanseníase e o Programa Municipal de Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DANTs).

O diretor do Centro de Controle de Zoonoses, Carlos Morales, apresentou as ações do departamento que realizou eventos de vacinação, doação de animais, recolhimento de animais em vias públicas, mutirões de serviços de combate a focos de Aedes Aegypti, além do trabalho de conscientização da população.

Diretor do Hospital Ferreira Machado, Arthur Borges Souza falou das reformas estruturais que estão sendo realizadas na unidade, como a fachada e o setor de Tisiologia, que já está em funcionamento. Ele falou também da reabertura do CAOPE e o início do Programa de Combate ao Tabagismo, com atendimento multidisciplinar e a consolidação do NAF. Foi destacada a ampliação de leitos para Covid-19, com mais dois leitos na UTI, seis leitos de UTI na unidade 4 do CTI e mais 12 leitos de enfermaria.

O secretário Adelsir Barreto apresentou os dados da Unidade Pré-Hospitalar São José. De acordo com ele, a unidade acelerou a ação de fornecimento de oxigênio para pacientes de Covid-19, com a instalação de uma usina de oxigênio. “Nós estamos fazendo parte do projeto de reformulação da Saúde, buscando a instalação de três usinas de oxigênio, para equipar os três Hospitais, buscando fornecimento integral”, explicou.

Em seguida, Rodrigo Carneiro abordou o cenário epidemiológico da Covid-19 no 1º quadrimestre de 2021. “Até 16 de abril, foram notificados 78.614 casos suspeitos e confirmados da COVID-19 em residentes da cidade. Dentre eles, 75.155 foram casos de síndrome gripal (SG) e 3.459 casos de síndrome respiratória aguda grave hospitalizados (SRAG-H)”, disse.

De acordo com a apresentação, entre o total de casos notificados, 26.625 foram confirmados laboratorialmente. Ao considerar apenas aqueles com confirmação laboratorial (26.625), o número de recuperados é de 21.092.

“Hoje nós vivemos uma situação que não é tão crítica como era há algumas semanas, mas ainda inspira cuidados.” disse. Ele explicou que com a entrada da nova variante da Amazônia e a aceleração da vacinação, o número de casos se encontra maior entre os mais jovens. “Até 16 de abril, foram registrados 925 óbitos por Covid-19 em Campos dos Goytacazes”, afirmou.

Na conclusão, o diretor Rodrigo Carneiro destacou que no final do primeiro quadrimestre de 2021, o momento epidemiológico sinalizava para um estágio de platô, caracterizado pela manutenção de elevada taxa de casos novos de infecção, óbitos e pressão na rede de assistência à saúde.

“A única boa notícia é que parou de subir e agora a gente tem uma tendência à queda lenta. Então, nós teremos que observar as próximas semanas para definir quais serão as nossas condutas”, concluiu.

Além do presidente da Câmara, Fábio Ribeiro (PSD), participaram os vereadores Anderson de Matos (Republicanos), Jô de Ururaí (Podemos), Pastor Marcos Elias (PSC) e Álvaro de Oliveira (PSD).

Ascom Câmara*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *