Projeto de horta comunitária desenvolvido pela GNA garante segurança alimentar e geração de renda a famílias vulneráveis em Campos

A horta comunitária Girassol Esperança, projeto desenvolvido e apoiado pela GNA, em parceria com a Escola Técnica Agrícola Antônio Sarlo, em Campos dos Goytacazes, tem rendido bons frutos. Só neste ano, já colheu cerca de quatro toneladas de alimentos, que foram destinados à geração de renda alternativa e à segurança alimentar de 15 famílias vulneráveis, que residem próximas à escola.

Iniciado em 2020, a iniciativa conta com a orientação dos professores e alunos bolsistas, que ensinam técnicas para que as famílias produzam na horta comunitária e consigam colher os alimentos para consumo próprio e comercializá-los. A Escola Técnica Agrícola Antônio Sarlo cedeu o espaço para criação dos canteiros e conduziu o processo de seleção das famílias beneficiadas.

A gerente de Responsabilidade da GNA, Ana Weisz, explica que o projeto está em linha com o compromisso da GNA de criar oportunidades de capacitação e geração de renda para as comunidades. “O compromisso com a sustentabilidade é um valor para GNA e poder desenvolver um projeto que possibilite a inclusão social, renda alternativa, consumo de alimentos saudáveis e cuidado com o meio ambiente nos enche de orgulho”, concluiu.

As famílias participantes do projeto veem na horta comunitária a possibilidade de melhorias em diversos aspectos. Marilza Cruz, moradora da região, conta sobre as contribuições do Projeto Horta Comunitária para a melhoria da sua vida e da família. “Eu gosto muito de vir trabalhar na horta comunitária porque faço vários pratos com os alimentos que colho. A alimentação da minha família melhorou bastante”, falou. Para além da comida de qualidade na mesa, a horta comunitária impacta positivamente outras áreas importantes em sua família. “Meu filho estava muito deprimido e a vinda para o trabalho na escola deixou ele mais animado. Agora ele vem trabalhar na horta sem mim”, contou feliz. Além de melhorar a alimentação da família, com papa, milho cozido, a Sra. Marilza vende o excedente/parte dessa produção.

A GNA apoia o projeto da horta comunitária em três frentes: construção e melhoria de infraestrutura do local; custeio de bolsas para coordenadores, professores e alunos do ensino técnico e compra de insumos, como sementes e ferramentas. A empresa, que está construindo o maior parque termelétrico da América Latina, no Porto do Açu, em São João da Barra, pretende desenvolver um plano produtivo de maior consistência, com o objetivo de colaborar ainda mais para o processo de comercialização dos produtos. Ao todo, entre famílias, professores e alunos bolsistas, o programa beneficia 64 pessoas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *