PF e MPRJ prendem 4 policiais civis e 1 advogado por tráfico de drogas - Tribuna NF

PF e MPRJ prendem 4 policiais civis e 1 advogado por tráfico de drogas

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

Na manhã desta quinta-feira, 19/10, a Polícia Federal, em conjunto com MPRJ, deflagrou a “Operação Drake” para prender quatro policiais civis e um advogado pela prática de tráfico de 16 toneladas de maconha, além do crime de corrupção.

Na ação de hoje, cerca de 50 policiais federais cumprem cinco mandados de prisão preventiva e seis mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1a Vara Criminal da Comarca de Resende/TJRJ. Os mandados são cumpridos na capital fluminense e em Saquarema/RJ, em endereços ligados aos criminosos, já denunciados pelo Ministério Público, bem como na cidade da Polícia Civil, especificamente na Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas.

De acordo com a investigação, que teve início em ação integrada do serviço de inteligência da PRF com a PF, na comunicação e monitoramento do veículo suspeito, duas viaturas ostensivas da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas da PCERJ abordaram um caminhão carregado com 16 toneladas de maconha na divisa de São Paulo com o Rio de Janeiro.

Após escoltarem o caminhão até a cidade da Polícia Civil, os policiais civis negociaram, por meio de um advogado, a liberação da carga entorpecente e a soltura do motorista, mediante ao pagamento de propina.

Com a concretização do pacto criminoso, três viaturas ostensivas escoltaram o caminhão até os acessos de Manguinhos, comunidade vinculada à principal facção criminosa do Rio de Janeiro. Em seguida, a carga de maconha foi descarregada pelos criminosos.

O trabalho foi desenvolvido pelo Grupo de Investigações Sensíveis da PF (GISE/RJ) e pela Delegacia de Repressão a Drogas (DRE/PF/RJ) em conjunto com Ministério Público, por meio da Promotoria de Justiça de Investigação Penal de Resende e com auxílio de promotores de justiça de outros órgãos do parquet fluminense.

Para o cumprimento dos mandados, na data de hoje, a PF teve o apoio da Corregedoria da PCERJ.

O nome da operação DRAKE, remete ao pirata e corsário inglês Francis Drake que saqueava caravelas que transportavam material roubado e se julgava isento de culpa em razão da origem ilícita dos bens.

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio de Janeiro*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *