Helicóptero cai e empresário e piloto morrem no interior do ES - Tribuna NF

Helicóptero cai e empresário e piloto morrem no interior do ES

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

Um helicóptero caiu por volta das 18h30 desta quinta-feira (09), no interior do município de Vargem Alta, na Região Sul do Espírito Santo. De acordo com o corpo de bombeiros, o piloto e o passageiro morreram. Uma das vítimas é o empresário Oto Carneiro, de 49 anos, do ramo de rochas ornamentais.

Ainda de acordo com a corporação, a princípio, a aeronave teria colidido com fios de alta tensão, caindo em uma propriedade da localidade de Vargem Grande.

O helicóptero transportava piloto e passageiro. Os dois morreram no local. Cinco bombeiros foram deslocados para o sítio, que foi isolado. A Polícia Civil foi acionada.

O g1 apurou que uma das vítimas foi identificada como Oto Carneiro, proprietário da Maq Stone, empresa de rochas ornamentais de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do estado. A informação foi confirmada por Celmo de Freitas, diretor-executivo do Sindicato das Indústrias de Rochas Ornamentais (Sindirochas).

“Nós temos a confirmação que é o Oto Carneiro, que estava na Vitória Stone Fair hoje (quinta-feira) à tarde. Conheço pessoas que estiveram com ele. Apesar de não ter falado com ninguém da família, que não quer falar no momento, profissionais do ramo já confirmaram que é ele”, disse Celmo.
Equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que estiveram no local também confirmaram a identidade de Oto e disseram que ele era o dono do helicóptero.

Até a última atualização, não se sabia a identidade do piloto.

A aeronave está registrada em nome da empresa GLOBAL ADMINISTRAÇÃO E SOLUÇÕES INTEGRADAS LTDA.

O helicóptero é um Robinson Helicopter, registro PR-PLF, modelo R44 II, fabricado em 2011. O número máximo permitido de passageiros, segundo o site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), é de três pessoas.

O registro da aeronave é para serviços privados, com operação negada para taxi aéreo. Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA) tem validade até 2024.

G1*

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *