Governador do Espírito Santo anuncia suspensão de ônibus e funcionamento mais restrito do comércio

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), anunciou o fechamento mais restrito do comércio e a interrupção do transporte público em todo o estado. O decreto passa a valer a partir do próximo domingo (28).

As novas medidas adotadas como forma de combate ao avanço da Covid-19 no estado foram comunicadas em pronunciamento nesta quinta-feira (25). Casagrande enumerou um conjunto de motivos para as decisões, entre eles: o alto número de internações e de mortes, a lotação de leitos e de unidades de saúde.

Ônibus intermunicipais, interestaduais e do sistema Transcol, além do transporte ferroviário de pessoas, entram na restrição.

Transportes de trabalhadores dos serviços essenciais devem ser organizados pelas empresas, inclusive supermercados, farmácias e postos de gasolina.

“Para que a gente possa reduzir a aglomeração no transporte público”, declarou o governador.

Comércio atacadista, lojas de material de construção, casas de autopeças e oficinas de reparação de veículos, agências bancárias, atividades de pesca no mar e casa lotérica serão considerados atividades essenciais até o próximo sábado (27), mas deixam de ser essenciais no domingo.

A atual quarentena que iria até o dia 31 de março será estendida até 4 de abril. Os efeitos do decreto, que será modificado e publicado nesta sexta (26), vão valer até o domingo de Páscoa.

Segurança e educação
A partir do dia 15 de abril, a reserva técnica dos lotes de vacina, que é de 5% do total de lotes que chegam a partir desta data, será aplicada aos profissionais da segurança pública e da educação em atividade e na linha de frente.

Ambulatorial
O decreto do governador também suspende o atendimento ambulatorial especializado. A atenção básica, em unidade de saúde, vai continuar, inclusive a vacinação contra a Covid-19.

Leitos
De acordo com o governador, nos próximos dias, até o fim do mês de abril, o estado terá mais de 2 mil leitos exclusivos para o tratamento da Covid-19.

“A taxa de ocupação de leitos está se mantendo em 90% desde o início da quarentena, mesmo abrindo leitos quase todos os dias”, apontou Casagrande. “Os pronto-atendimentos e unidades de saúde estão trabalhando no limite, sempre com leitos de estabilização praticamente todos ocupados. A pressão sobre o sistema de saúde é muito forte”, explicou.

“O número de óbitos nos últimos dias é crescente. Estamos com uma média de 31 óbitos por dia nos últimos 14 dias. Estamos batendo recorde de registro de pessoas perdendo a vida, infelizmente. Ficamos torcendo para reduzir. Mas vemos que os óbitos estão crescentes e atingem, também, jovens. A variante está muito mais agressiva e é possível compreender a necessidade de avançar mais”, disse.

G1*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *