Flávio Bolsonaro: ‘Witzel tenta criar cortina de fumaça para desviar foco de roubalheira’

Rio – O senador Flávio Bolsonaro declarou que o governador Wilson Witzel, alvo de uma operação de busca e apreensão da Polícia Federal nesta terça-feira, “ficou tão desnorteado que sequer percebeu que a investigação começou na Polícia Civil no Estado do Rio”. Mais cedo, o senador fez uma live em sua rede social onde rebateu a fala do Witzel, que afirmou que Flávio “deveria estar preso”.

“O governador Wilson Witzel ficou tão desnorteado com a polícia batendo à sua porta logo cedo que sequer percebeu que a investigação começou na Polícia Civil do Estado do Rio, nada a ver com Polícia Federal. Ele tenta criar uma cortina de fumaça para desviar o foco de sua roubalheira na saúde e, para isso, ainda ataca a Polícia Federal e o STJ. Os desvios de dinheiro público no seu governo são tão descarados que já viraram assunto de mesa de bar, todo mundo sabe”, disse Flávio.

Ataques rebatidos

Na tarde desta terça, o filho do presidente rebateu os ataques e afirmou que tem muita coisa para vir à tona contra o governante. O senador, que negou ter acesso a informações privilegiadas, disse que faz tempo que escuta sobre possíveis desvios feitos no governo do Estado.

“Tem tanta coisa errada no seu governo e é por isso que me afastei desde o início”, disse o senador durante transmissão ao vivo em seu perfil em uma rede social. “Isso não é nada perto do tsunami que pode chegar contra você. Pelo menos meia dúzia de secretarias vai ter problema.”

Batizada de Placebo, a operação investiga desvios de recursos públicos destinados ao atendimento do estado de emergência de saúde pública decorrente da pandemia do novo coronavírus.

O senador rebateu Witzel e negou que a operação tenha tido suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro. “Você deveria pedir desculpas para a PF, para o ministro.”

Flávio afirmou que o governador precisa ‘baixar sua bola’ e cuidar da sua defesa pois terá muito o que explicar. “De repente quer dar uma de maluco para, em vez de ir para Bangu 8, ir para um hospital psiquiátrico”.

O parlamentar disse ainda que se arrepende de ‘ter elegido’ Witzel para o governo do Estado ao se referir à autorização para que o então candidato usasse suas imagens durante a campanha eleitoral em 2018. “Jamais ia imaginar que ia ser mais um desses traidores.”

Fonte: O Dia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *