Firjan Norte Fluminense entrega propostas de desenvolvimento à Prefeitura de Quissamã

O presidente da Firjan Norte Fluminense, Francisco Roberto de Siqueira, esteve nesta terça-feira (26/10) na Prefeitura de Quissamã para entregar um estudo da federação que reúne propostas de desenvolvimento regional. O caderno “Agendas regionais com os municípios: Norte Fluminense 2021-2024”, entregue à prefeita Fátima Pacheco, reúne uma série de sugestões que convergem com projetos que já vêm sendo trabalhados pelo município, como a criação de uma rota turística de Macaé a Bom Jesus do Itabapoana e trocas de experiência com municípios de outros estados com perfis econômicos semelhantes a Quissamã.

“Essa convergência demonstra que estamos sintonizados, tanto a federação quanto a prefeitura de Quissamã. São projetos capazes de trazer desenvolvimento não só à cidade, como a toda a região”, disse o presidente da Firjan Norte Fluminense, Francisco Roberto de Siqueira, que esteve acompanhado da coordenadora da Firjan NF, Patrícia Daldegan.

A Firjan se comprometeu a contribuir com interlocuções junto aos governos Estadual e Federal para, por exemplo, identificar oportunidades de parcerias nos mais diversos setores. Uma das ideias é promover trocas de experiências de gestão e de negócios com municípios de perfis econômicos semelhantes de outros estados, como em cidades da região sul do país, por exemplo. Outras propostas são o desenvolvimento de ações que valorizem os patrimônios histórico-culturais da região. Entre eles está a preservação do Fado de Quissamã e a restauração da antiga Fazenda Quissamã, transformada no Museu Casa Quissamã, além do complexo arquitetônico da fazenda Machadinha, cujos remanescentes dos antigos escravos ali vivem até hoje.

“Temos o Parque Nacional de Jurubatiba e uma série de patrimônios históricos, culturais e ambientais que precisam ser integrados. O turismo fomenta o comércio, a indústria e, por consequência, toda a economia da nossa cidade e da região. Estamos em busca de apoio para conceber a rota turística regional, e o apoio da Firjan será muito importante para viabilizar este e outros projetos”, disse a prefeita, que também é presidente do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento do Norte e Noroeste Fluminense (Cidennf).

 Propostas integradas

O caderno foi dividido nos seguintes temas: ordenamento urbano; planejamento regional; saneamento ambiental; logística e mobilidade urbana; infraestrutura de energia e gás natural; educação; ambiente de negócios; e gestão pública. Ao todo são 31 propostas, como o fortalecimento do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento; a construção de novos acessos ao distrito industrial, além de articulações junto aos governos Federal e Estadual para a duplicação da BR-101, além da construção da RJ-244 (Açu-Campos) e da malha ferroviária entre o Porto do Açu ao de Macaé e ao resto do país.

A entrega já foi feita aos prefeitos de São João da Barra e Cardoso Moreira, e será realizada junto a todas as prefeituras da região. O Norte Fluminense é a sexta maior região do estado, representando 5,6% da população estadual total. O PIB regional foi de R$ 60,3 bilhões em 2018, correspondendo a 7,9% do valor estadual, sendo a quarta maior economia do estado. A Indústria foi responsável pela maior parte desse valor, com R$ 26,4 bilhões, seguido pelo setor de Serviços com R$ 21,2 bilhões da produção regional. Entre os municípios, Campos é a maior economia da região, concentrando 53,6% do PIB regional.

Com relação ao desenvolvimento socioeconômico, segundo o Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM), todos os nove municípios da região Norte registraram desenvolvimento moderado em 2016. Apesar disso, a nota média da região (0,6788) foi inferior à média do estado (0,6939), com grau moderado de desenvolvimento em 2016. Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), em 2019 o Norte Fluminense possuía 15,2 mil estabelecimentos, que geravam 243,1 mil empregos formais – é a quinta maior região do estado em número de empresas e empregados formais.

 Caderno também no Noroeste Fluminense

No Noroeste Fluminense, o caderno foi entregue de forma virtual aos prefeitos das 13 cidades que compõem a região. As propostas também foram divididas em oito grandes eixos – os mesmos do caderno do Norte Fluminense. Entre elas estão a implantação de um posto do Inea com autonomia para agilizar o licenciamento ambiental; implantação de internet na rede pública de ensino; implantação da rede de distribuição de gás na região; estabilidade e aumento no fornecimento de energia; apoio à reativação do aeroporto de Itaperuna e construção do Contorno na BR-356; entre outras propostas, num total de 16 pleitos.

O Noroeste tem um PIB de R$ 7,7 bilhões, segundo dados de 2018. O setor de Serviços foi responsável por R$ 3,3 bilhões, e a Administração pública, por R$ 2,5 bilhões da produção regional. A Indústria, por sua vez, foi responsável por R$ 856 milhões. Entre os municípios, Itaperuna é a maior economia, concentrando 36,2% do PIB regional. Em 2019, segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), a região possuía 7,1 mil estabelecimentos, que geravam, aproximadamente, 55,5 mil empregos formais.

Ascom*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *