Farra do Castro: governador afirma que secretários e amigos bancaram festa de arromba

O governador fluminense, Cláudio Castro (PL), informou nesta quarta-feira que a celebração do seu aniversário de 43 anos, para 2 mil convidados, “foi custeada por um grupo de secretários de estado e amigos próximos”. Castro não informou, no entanto, quanto custou o evento realizado no Jockey Club do Rio, nem citou os nomes daqueles que contribuíram para a realização, informa O Globo.

Aliados e adversários de Castro foram às redes sociais cobrar explicações sobre o convescote que reuniu políticos e artistas em mais de cinco horas de celebração, com direito a shows de Alcione, Belo, Mumuzinho e a bateria da Grande Rio.

Entre os políticos convidados, alguns dos principais apoiadores de Castro estiveram presentes. Filho caçula do ex-governador Sérgio Cabral, Marco Antônio Cabral, chegou atrasado, enquanto um dos primeiros a chegar foi o ex-presidente da Alerj, Paulo Melo. Prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis fez questão de posar ao lado de Castro e Flávio Bolsonaro, assim como o deputado federal Otoni de Paula.

O prefeito da capital, Eduardo Paes, no entanto, não apareceu, apesar do convite recebido. A ausência dos membros da família Garotinho também foi sentida.

Dezenas de garrafas de uísque Dewars foram servidas, além de vodka da marca Greygoose, gin Bombay e cerveja Heineken. O buffet para 1.200 pessoas também chamou atenção pela fartura: camarões empanados não deixaram ninguém com fome, assim como outros salgados servidos.

Com tantos nomes presentes, alguns constrangimentos foram inevitáveis: diante de membros das bancadas evangélicas da Câmara dos Deputados e da Alerj, a Grande Rio entoou o samba-enredo de 2020, Tata Londirá, com os seguintes versos: “Salve o Candomblé, Eparrei Oyá/ Grande Rio é Tatalondirá/ Pelo amor de Deus, pelo amor que há na fé/ Eu respeito seu amém/ Você respeita o meu axé”.

O premiado samba, que homenageia o pai de santo João da Gomeia, pode não ter agradado a todos, mas o mesmo não pode ser dito do funk, tocado na sequência por um DJ. Ceciliano se esbaldou ao lado do deputado estadual Chico Machado. Um dos assessores do presidente da Alerj pediu aos jornalistas para que ele não fosse filmado naquele momento.

Recheado de convidados ilustres, o aniversário de Castro também tinha uma área VIP: o cercadinho, onde ficaram os membros do secretariado, contava com buffet próprio e uma ilha para produção de coquetéis, com barman.

Um bolo, decorado com uma vela em alusão à idade de Castro, selou o fim do evento, junto a doces finos servidos.

Fonte: O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.