Dupla é presa por matar e enterrar o próprio amigo

Bruno Gomes da Silva (casaco azul) e Sérgio Luís dos Santos (blusa preta) foram presos no sábado – Divulgação / Polícia Civil

Rio – Policiais da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) prenderam, no sábado, dois homens apontados como responsáveis pela morte e ocultação do cadáver de Guilherme Maia Gomes, de 20 anos, que era amigo deles. Sérgio Luís dos Santos, 28, Bruno Gomes da Silva, 19, e Matheus Pereira da Silva Lima, 23, praticaram o crime na madrugada da terça-feira da semana passada, na Floresta da Tijuca, no Itanhangá, na Zona Oeste do Rio. Matheus continua foragido.

De acordo com a Polícia Civil, Guilherme foi morto a tiros pelos três quando eles voltaram uma festa no Itanhangá. Eles, que são do Morro do Banco e usuário de droga, haviam brigado no evento.

“Os quatro eram amigos e costumavam sair juntos. Naquele dia, eles foram para uma festa e lá houve uma garota que despertou a atenção do Sérgio e do Guilherme. Eles já estavam sobre efeito de drogas e começou a ter uma divergência entre eles que terminou com agressões físicas”, conta o delegado Evaristo Pontes, da DHC.

Após matarem Guilherme, os três o enterraram em uma cova feita por eles na Floresta da Tijuca. O cadáver da vítima foi encontrado já em avançado estado de decomposição.

“Depois da festa, eles resolveram ficar pela região consumindo drogas. A gente acredita que eles levaram o Guilherme para o lugar, no meio da mata, já com o intuito de matá-lo”, Pontes acrescenta.

O delegado diz que nos depoimentos que prestaram na DHC, Sérgio e Bruno apontaram Matheus como o autor dos disparos contra Guilherme. Mas a polícia acredita em outra hipótese.

“O Sérgio foi o pivô da divergência com a vítima, então a gente acredita que ele é que tenha atirado. Mas como o Matheus ainda não foi preso, eles deram essa versão”, Pontes defende.

Os policias seguem a procura de Matheus, que é de Angra dos Reis, na Região da Costa Verde. Ele estava morando no Rio com uma namorada, mas por uma divergência com ela, deixou o local.

Fonte: O Dia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *