Coronavírus pode ter entrada em SJB através do Porto do Açu

O noticiário nacional e internacional vem trazendo grandes informações quanto ao vírus denominado coronavírus.

Esse vírus ganhou força em uma das grandes cidades da China onde segundo o governo local várias pessoas já morreram.

A preocupação agora fica com as cidades onde existe um grande número de pessoas que transitaram ou transitam por locais aonde o vírus vem sendo disseminado.

Na região de São João da Barra, Campos dos Goytacazes e São Francisco de Itabapoana a grande preocupação é com a movimentação do Porto do Açu, cuja responsabilidade de sua operação é da empresa Prumo Logística.

A questão é séria e faz se necessário que o estado do Rio participe de forma direta desse monitoramento e fiscalização, bem como os municípios de Campos, SJB e SFI.

Inúmeros são ônibus e demais veículos que circulam todos os dias com trabalhadores para demais cidades em contato direto com pessoas de todas as nacionalidades no Porto do Açu.

Não se está aqui querendo criar nenhum alarme, mas também não se pode esconder a preocupação, principalmente nos balneários de Grussaí e atafona, onde residem inúmeros trabalhadores do Porto.

Com o verão e o elevado número de veranistas e frequentadores nos balneários isso se torna ainda mais complicado.

O certo é que isso não pode ficar a distrito a uma suposta conversa entre a direção do Porto e o ministro da Saúde.

É preciso que as outras autoridades procurem verificar a respeito do trânsito de estrangeiros pelo Porto do Açu.

Com a palavra os prefeitos de Campos, SJB e SFI.

Até porque não existe liminar com efeito suspensivo contra esse vírus.

Nota do Porto do Açu*

“Posicionamento à imprensa

A administração do Porto do Açu informa que os procedimentos para controle do coronavírus são conduzidos pela ANVISA e são os mesmos adotados para outras doenças, sendo, portanto, já estabelecidos e seguidos pelos portos brasileiros. O Porto do Açu atua em conformidade com os protocolos definidos pela agência reguladora, visando a segurança de suas operações e da comunidade local, e continuará acompanhando o assunto junto às autoridades responsáveis.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: