Coronavírus: detento de presídio de Campos testa positivo

Um detento do Presídio Carlos Tinoco da Fonseca testou positivo para o novo coronavírus. O teste foi realizado na terça-feira (30) após o presidiário começar a ter os sintomas da doença e ser socorrido no Hospital Ferreira Machado (HFM). O nome não foi divulgado pela Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Rio de Janeiro (SEAP).

O resultado foi divulgado no início da manhã desta quinta-feira (2) pela própria SEAP. Segundo a secretaria, de forma preventiva, todos os outros detentos, que tiveram contato com o mesmo, estão em isolamento. Ainda segundo a Superintendência de Saúde da Seap, o órgão já entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde de Campos para notificação e acompanhamento do caso.

Em nota, a SEAP ressaltou “O empenho incansável dos seus servidores e com o apoio de familiares dos internos que vêm contribuindo para o cumprimento das ações protetivas adotadas pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro nas unidades. Destacamos, ainda, outras ações de prevenção e combate ao à Covid-19 que estão ocorrendo, desde o dia 13 de março, em todas as unidades prisionais. Conforme decreto, publicado em Diário Oficial, pelo governador Wilson Witzel, as visitas permanecem SUSPENSAS nas unidades prisionais;

Todos os presos, que estão ingressando no sistema, ficam em isolamento social durante 14 dias, acompanhados pela equipe de saúde desta Secretaria. Após esse período, não apresentando qualquer sintoma respiratório e/ou febre, os mesmo são inseridos no coletivo da unidade,

Foram realizados testes rápidos para o diagnóstico da Covid-19 em mais de 1.500 servidores. Também já foram distribuídas mais de 280.000 máscaras descartáveis e reutilizáveis e 137.000 luvas cirúrgicas, além de cerca de 1.700 litros de álcool em gel e líquido aos servidores. As unidades prisionais também receberam 110 Face Shields, além de 515 óculos de segurança e água sanitária para a intensificação da limpeza; Foram distribuídos termômetros infravermelho nas unidades prisionais para a aferição da temperatura dos servidores ao chegarem para trabalhar. Também foi instalada um número maior de pias nas unidades e fornecidos sabão e toalha de papel, para a facilitação e intensificação da lavagem das mãos, com orientação da área técnica da Seap”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *