Com bitcoin em queda, mercado de criptomoedas pode ter ‘banho de sangue’

Uma enorme pressão vendedora, que tirou quase 100 bilhões de dólares do mercado de criptoativos nas últimas 24 horas, fez com que o preço de quase todos os ativos digitais despencasse nesta terça-feira, 20. O bitcoin caiu abaixo de 30 mil dólares, o ether voltou para a casa dos 1.700 dólares e, segundo analistas, a situação pode ficar ainda mais crítica para as criptomoedas no curto prazo se não houver uma reversão de tendência em breve.

Desde que atingiu sua máxima, a cerca de 64 mil dólares, em abril, o bitcoin despencou 50% e viu seu preço “andar de lado” por praticamente dois meses, mas conseguiu se manter acima de 30 mil dólares. Isso até a grande quantidade de vendas desta manhã, que jogou o preço para baixo.

O movimento foi impulsionado pelo temor do mercado em relação à uma possível nova onda do coronavírus causada pela variante Delta. “Estamos vendo investidores avesso a riscos no mercado de ações, câmbio e commodities”, disse Edmond G, líder de negociação da B2C2, ao site CoinDesk. “O mercado de criptoativos não está imune ao sentimento do mercado tradicional”.

Segundo dados da plataforma de análise de dados IntoTheBlock, o suporte na faixa de 29.600 dólares, que segurou o preço do bitcoin nas últimas semanas, pode não ter força o suficiente. De acordo com dados históricos da ferramenta, a concentração mais significativa de compradores aparece entre 27 mil e 26 mil dólares, o que pode absorver parte da recente pressão vendedora.

Por outro lado, uma enorme resistência entre 33.250 e 34.200 dólares pode impedir que o ativo supere essa faixa de preço tão cedo. Os analistas Chris Williams e Ali Martinez, responsáveis por esta leitura, afirmam que, caso o preço do bitcoin não se mantenha acima do suporte por pelo menos um dia, a queda pode ser ainda mais acentuada, até 17.650 dólares.

Já Patrick Heusser, da Crypto Finance, acredita que o bitcoin preço se manter acima de 29 mil dólares para evitar novas quedas. “Quão baixo pode ir? Provavelmente 20 mil dólares”, disse. Pankaj Balani, CEO da Delta Exchange, prevê uma queda considerável para o mercado como um todo caso isso aconteça: “O mercado cripto está vulnerável às notícias macroeconômicas. O ether e outras altcoins vão sofrer um ‘banho de sangue’ se o bitcoin escorregar em direção aos 20 mil dólares”.

Para os especialistas, a única notícia positiva para os investidores no curto prazo é que o mercado está registrando baixos volumes durante o movimento de queda. “Isso pode sinalizar que os vendedores estão exaustos e que o mercado está esperando por notícias positivas”, completou Heusser.

Além disso, depois de uma segunda-feira de fortes quedas nas principais bolsas de valores do mundo, o mercado de ações já mostra certa estabilidade nesta terça. Tanto o mercado europeu quanto o índice S&P operam em alta neste momento. “Pode ser o momento para uma recuperação no mercado cripto, já que o pânico no mercado de ações parece ter chegado ao fim”, disse o analista Alex Kruger.

Outro ponto relevante é que, como em outras situações semelhantes, a queda no preço dos criptoativos é causada por fatores externos, e não por problemas ligados ao setor – não se trata, por exemplo, de um problema com a tecnologia ou uma regulação contra essa classe de ativos. Assim, os fundamentos dos criptoativos e as teses de investimento que sustentam este mercado permanecem intactos, deixando perspectivas mais otimistas possíveis no médio e no longo prazos.

Fonte: Exame

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *