‘Chapéu de otário é marreta’: professor explica expressão usada por Omar Aziz na CPI da Covid no Senado

O presidente da CPI da Covid no Senado, senador Omar Aziz (PSD), utilizou nesta quinta-feira (1º) o ditado popular “chapéu de otário é marreta” para levantar suspeitas sobre o policial militar Luiz Paulo Dominguetti, que prestava depoimento sobre a compra de doses da AstraZeneca.

“O senhor está sob juramento. Não venha achar que aqui todo mundo é otário. Nem patetas. Veja bem qual é seu papel aqui. Do nada surge um áudio do deputado Luis Miranda. Tá certo? Chapéu de otário é marreta, irmão”, disse Aziz.

A expressão foi dita pelo presidente da CPI após o PM apresentar um áudio em que, segundo ele, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) intermediava compra de vacina para o governo federal.

Mas o que o ditado popular significa?

A expressão, que tem a sua versão “Marreta é Chapéu de Otário”, pode ser usada quase como um sinônimo para ‘deixa de ser besta’ ou ‘você quer me fazer de besta?’.

Segundo o professor de Língua Portuguesa Henrique Braga, do Curso Anglo, a frase já foi mais utilizada por gerações mais antigas, e pode ter circulado várias regiões do Brasil – o senador é de Garça, no interior de São Paulo, e ela é popular no Norte e Nordeste.

“No caso da CPI, essa expressão imprimiu um caráter mais implícito sobre uma possível punição e que se ocorresse seria ‘justa’. É dessa forma que o provérbio pode ser interpretado no contexto que ele apareceu na fala do senador”, explicou Braga.

O professor explica que é difícil definir a origem de um ditado popular. “A partir da linguística cognitiva, podemos referenciar coisas do mundo concreto ao nível abstrato, a partir da relação de semelhanças. É assim que funcionam os ditados populares. Por exemplo: chapéu é um acessório que se coloca na cabeça, e marreta, um instrumento usado para agredir. Então, no caso da expressão, o contexto seria de que seria justo o ‘otário’ levar a pancada por ter sido pouco inteligente”, explica.

Braga diz ainda que não necessariamente a marreta pode indicar para agressão física, é algo mais como uma consequência de algo feito com ingenuidade.

O professor conclui que “a expressão acabou sendo usada como força argumentativa para dizer que alguém vai ser castigado e isso vai ser justo”. “É algo mais sutil que uma ameaça”, ele afirma.

Ditado é título de música

Em 1991, no álbum homônimo de Alípio Martins, produtor musical e cantor de Belém do Pará, que uma música teve a expressão como título. “Chapéu de Otário é Marreta” é um brega lambada, ritmo latino muito característico do Norte e Nordeste do Brasil.

Na canção, o artista, que morreu em Belém em 1997, fala sobre o sofrimento do povo brasileiro que, apesar de lutar, acaba sempre sendo prejudicado. O refrão diz:

“Essa é a vida com brasileiro
Leva do porrada por ano inteiro
Quem sabe um dia ele já aceita
Chapéu de otário é marreta”

G1*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *