19/07/2024
Campos

Campos: População conta com cirurgia a laser para retirada de pedra nos rins

Os Mutirões da Saúde para cirurgias de cabeça e pescoço e urologia irão atender toda a demanda reprimida de Campos e Região Norte Fluminense. A quarta etapa, cuja finalidade é zerar as filas de regulação do Estado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), foi lançada oficialmente pelo prefeito Wladimir Garotinho no dia 17 de agosto. Em Campos, pelo menos 1.500 pacientes aguardam pelos procedimentos urológicos, dentre eles, intervenções a laser, que não são cobertos pelo SUS. O município é o primeiro da região a ofertar esse serviço.

No total, serão realizadas 7 mil consultas e cerca de 1.000 cirurgias para 97 procedimentos, sendo as maiores demandas: Litotripsia ou Litíase renal (pedras nos rins), que pode ser a laser ou percutânea; Prostatectomia Transvesical (próstata aberta); Ressecção Transuretral de Próstata (RTUP) – tratamento minimamente invasivo para desobstrução da uretra; Nefrectomia (retirada de um dos rins); Varicocele (dilatação anormal das veias testiculares; Hidrocele (acúmulo de líquido dentro do escroto envolvendo o testículo), além de biópsias.

Segundo o médico responsável pelas cirurgias de urologia do Hospital Geral Guarus (HGG), Felipe Dias, o mutirão é de extrema importância, tendo em vista que o HGG é a grande porta de entrada para pacientes urológicos de Campos e região.

“O atendimento urológico no HGG é bem estruturado. É um serviço pioneiro em Campos e essa porta de entrada gera uma grande demanda pelos procedimentos eletivos, que são as cirurgias agendadas. O mutirão vem para complementar o atendimento que já é feito na unidade”, disse o médico.

Os agendamentos dos pacientes já estão em andamento. O interessado deve se dirigir ao Núcleo de Controle e Avaliação, que funciona à Rua Voluntários da Pátria, nº 185, em frente à secretaria de Saúde. No local, será feita uma análise desse paciente e agendada a consulta em um dos três hospitais contratualizados do município, Hospital Plantadores de Cana (HPC), Beneficência Portuguesa e Santa Casa de Misericórdia, que se colocaram à disposição para participar do mutirão.

“O mutirão de urologia vai aliviar o sofrimento dessas pessoas. São procedimentos caros e, por isso, vamos atender pacientes não só de Campos, mas de toda a Região Norte. O nosso papel é esse, ou seja, o de auxiliar o Estado nessas demandas reprimidas”, disse a diretora de Auditoria, Controle e Avaliação (DACA), da Secretaria Municipal de Saúde, Bruna Araújo.

Entre os documentos necessários estão o pedido original do SUS, que é o encaminhamento médico, documentos pessoais, cartão do SUS e todos os exames de imagem realizados até o momento.

Secom*

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *