Campanha arrecada absorventes para 400 mulheres em situação de vulnerabilidade em Campos

Campanha de arrecadação em Campos, RJ, tenta minimizar o problema da falta de acesso a absorventes íntimos — Foto: Alice Sousa/G1

Até o fim do mês de junho, os projetos “Amigos de Campos”, “Por Amor ao Outro ” e “Blog Generalizando” se juntaram para arrecadar absorventes para 400 mulheres em situação de vulnerabilidade em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

Ao todo, 12 instituições que atendem meninas e mulheres vão ser beneficiadas incluindo o Presídio Nilza da Silva Santos, Centro Pop e Hospital Psiquiátrico João Viana (veja lista abaixo).

De acordo com o relatório Pobreza Menstrual no Brasil, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), divulgado no fim de maio, uma em cada quatro meninas não tem condições de comprar absorventes. A situação afeta diretamente a saúde feminina já que, muitas vezes, essas mulheres acabam utilizando materiais inadequados para conter o fluxo menstrual.

“O sangue é meio de cultura para proliferação de bactérias. As pacientes que não têm acesso a absorventes acabam desenvolvendo infecções mais simples, desde um corrimento até mais graves que podem levar à morte”, esclarece a ginecologista Sandra Abud Cordeiro.

O ciclo menstrual acaba se tornando um problema na vida de muitas meninas e mulheres que, durante o período, deixam de fazer atividades cotidianas como ir à escola, por exemplo. O valor da comercialização do item se torna um agravante para o problema da pobreza menstrual.

“No Brasil, o absorvente é tributado como cosmético e faz com que as mulheres paguem em média 34,5% só de tributos no absorvente. Se ele fosse tributado como item de higiene teria uma tributação menor e também estariam incluídos nas cestas básicas, como alguns países que têm tributação zero em cima dos absorventes”, explica Kelly Viter, presidente da OAB-Mulher de Campos dos Goytacazes.

Para amenizar o problema, a Campanha visa arrecadar 1.500 absorventes até o dia 30 de junho, que serão distribuídos para as instituições abaixo. Infelizmente, a arrecadação ainda não chegou nem a 50% da quantidade necessária.

“A campanha é feita e pensada por mulheres, então nos colocamos nessa posição de sintonia e empatia, mas fica o convite para toda sociedade a dar atenção a essa temática e colaborar como puder”, conta a idealizadora do Blog Generalizando, Marusa Silva.

Para doar basta entrar em contato com os projetos nas redes sociais ou ir até o ponto de arrecadação que fica na Rua Padre Romeu Pedruzzi, 63, Parque Tamandaré, em frente ao Colégio Salesiano. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (22) 99811-0019.

Veja abaixo as entidades beneficiadas:

  • Irmãos da Solidariedade
  • Bem faz bem
  • Residência Inclusiva
  • Centro Pop
  • Coletivo Nós por Nós
  • Hospital Dr João Viana
  • Amigos do Rim
  • Lar Débora
  • Tribo Ame
  • Quentinhas da Dona Cotinha
  • Presídio Nilza da Silva Santos
  • Alegria Projeto

G1*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *