Desdobramento da ‘rachadinha’

Com a quebra de sigilo de servidores da Alerj, o Ministério Público detectou que funcionários do quadro efetivo também estão participando de “rachadinha” – como foi batizada a prática de embolsar salários de assessores.

PENTE FINO NOS DEPARTAMENTOS

A suspeita começou durante a investigação de um servidor de uma comissão. Diante de sua quebra de sigilo, o MP detectou depósitos feitos de servidor para servidor. Pediram, então, a quebra de sigilo de vários que atuam no departamento das comissões.

Fonte: Coluna Informe do Dia

Comente

%d blogueiros gostam disto: