Exclusivo: Fornecedora de merenda do governo Rafael Diniz é citada no pedido de prisão contra Pezão

A empresa Horto Central de Marataízes, uma das maiores fornecedoras de gêneros alimentícios para a preparação de merenda escolar e outros órgãos do governo Rafael Diniz, é citada nas investigações da operação Lava Jato, no pedido de prisão contra o governador Luiz Fernando Pezão e outros membros da organização criminosa de Sérgio Cabral.

Entenda o caso e retornamos sobre a Horto Central mais abaixo:

Segundo o relatório dos procuradores da Lava Jato do Rio, com base na delação de Jonas Lopes de Carvalho Júnior, a organização criminosa do governador Pezão recebia propina de empresas que forneciam alimentos para a Secretária Estadual de Administração Penitenciária – SEAP e do DEGASE – Departamento Geral de Ações Educativas – DEGASE.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, foi acertado por Jonas Lopes de Carvalho Júnior, ex-Presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, para que fossem pagas as faturas em atraso devidas por esses órgãos do estado. O pagamento desses valores em atraso – no total de R$ 160.000.000,00 (cento e sessenta milhões de reais) – só foi liberado mediante o pagamento de propina no montante de 15% do valor pago.

De acordo com a delação de Jornas Lopes Júnior e Jonas Lopes Neto, o arrecadador da propina do grupo do governo oriunda de empresas de fornecimento de alimentação era Marcelo Santos Amorim, vulgo Marcelinho, ex-subsecretário de comunicação de Pezão, que ficava com 1% da propina.

Narra a denúncia, que apenas as empresas que pagassem a propina seriam contempladas na liberação dos pagamentos por parte do estado.

Segundo as investigações, apenas três empresas não foram contempladas pelos pagamentos efetuados pelo governo, exatamente as que se negaram a pagar propina para a quadrilha de Pezão. Confira:

Voltamos a Horto Central de Marataízes:

Na relação que consta nas investigações da operação Boca de Lobo, uma das empresas supostamente beneficiadas pela ORCRIM de Pezão, é a Horto Central de Marataízes. Confira:

A Horto Central de Marataízes é uma das maiores fornecedoras da prefeitura de Campos dos Goytacazes, no governo Rafael Diniz, no qual já foi citada em várias matérias do blog, no qual denominamos de “merenda da goiaba”.

Segundo o portal da transparência da prefeitura, a Horto Central tem mais de R$ 1 milhão em contratos assinados em 2018. Confira:

Além das citação da Horto Central na lista de empresas supostamente beneficiadas pela ORCRIM de Pezão, a referida empresa também é beneficiada por incentivos fiscais do estado.

*O blog abre espaço para a empresa caso queira se pronunciar.

Comente