Anúncio de presídio federal de Wilson Witzel no Porto do Açu levanta uma polêmica

No dia de ontem o jornal online Tribuna NF trouxe uma matéria onde revelou dois pontos interessantes que foram ditos pelo futuro governador Wilson Witzel.

*Porto do Açu poderá sediar o primeiro presídio federal do estado do Rio de Janeiro

O primeiro deles diz respeito a uma reunião realizada com o futuro ministro da Justiça Sérgio Moro e um grupo de vinte e três governadores.

Segundo a matéria do G1, o governador Witzel, que é ex-juiz federal, revelou, na oportunidade, que o Rio tem 19 mil presos provisórios de um total de 51 mil.

Na oportunidade o governador sustentou a necessidade da transferência de Pezão e Cabral para um presídio federal. Diz ainda o ex-juiz que o presídio federal é uma necessidade para os presos federais. Disse ainda que irá apresentar uma proposta de se construir mais presídios federais e que já havia uma previsão de instalação de um presídio federal no TRF-2 compostos pelos estados do Rio de janeiro e Espírito Santo. Dizendo o governador, que na época era juiz da execução penal do Espírito Santo, que havia a necessidade de um presídio federal de segurança máxima em cada estado.

*Witzel defende transferência de Pezão e Cabral para presídio federal

Portanto não foi o jornal online quem levantou a tese da construção de um presídio federal no estado do Rio de janeiro.

O que aconteceu foi que foi levantada a possibilidade da construção do presídio federal na retroárea do Porto do Açu, que embora esteja na posse da Prumo Logística pertence ao estado do Rio de Janeiro. São terras desapropriadas pelo governo do estado, não pagas aos seus legítimos proprietários, e fazem parte de atos administrativos praticados pelo ex-governador Sérgio Cabral, hoje preso e condenado, juntamente com o empresário Eike Batista, também condenado a 30 anos de prisão.

Essas áreas embora estejam na propriedade do estado não está sendo usada para nenhuma atividade.

Como essa área representa 1/3 do território de São João da Barra foi levantada a possibilidade da construção do presídio federal que tratou o governador eleito nesse local.

Na verdade não caberia só um presídio federal, mas um complexo penitenciário muito maior que tiraria o elevado número de detentos do complexo de Gericinó.

Ainda consta daquela matéria que no Porto do Açu existe a vantagem de que lá não pega celular.

Em momento algum o jornal online Tribuna NF disse que o governador irá construir presídio no Porto do Açu. O que foi defendido é que a área já pertence ao estado e ficaria o mesmo liberado de desapropriação.

Também foi citada na matéria a questão de encarceramento de presos perigosos em navios, o que também deixaria o Porto do Açu como o melhor parceiro do estado, tendo em vista as condições geográficas do empreendimento e a necessidade da sociedade de manter presos perigosos longe de qualquer tipo de influência dentro do crime.

Essa prisão em navios foi feita pelo próprio Witzel quando candidato, e noticiamos em primeira mão, o que não foi feito pela mídia corporativa que defendia a candidatura de Eduardo Paes e o quadrilhão do PMDB.

Cabral, Pezão, Eike Batista e o pessoal da Codin é que estão por trás de toda grilagem de terra pública que vem sendo desenvolvida no município de São João da Barra na retroárea do Porto do Açu, local onde voltamos a sustentar poderá ser construído um presídio federal.

Se o governador Wilson Witzel não construir o presídio no local quem sabe seu sucessor poderá assim fazer, vez que o local tem toda infraestrutura para sediar a nossa Alcatraz.

De sua opinião