Zeca Pagodinho é a primeira atração confirmada para o Réveillon em Copacabana - Tribuna NF

Zeca Pagodinho é a primeira atração confirmada para o Réveillon em Copacabana

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

A primeira atração confirmada para o Réveillon de Copacabana em 2023 é o artista Zeca Pagodinho. Ele se apresentará no palco principal, em frente ao Copacabana Palace na festa da virada. O anúncio foi realizado na manhã desta quarta-feira (14) em uma coletiva de imprensa no hotel, na Zona Sul do Rio.

No mesmo palco que Zeca Pagodinho se apresentarão Iza, Alexandre Pires, a bateria da Grande Rio e DJs. Já o Palco Carioca, em frente a Princesa Isabel, contará com a presença de Martnália, Gilsons, Bala Desejo, bateria da Beija Flor, e outros DJs. Os organizadores do evento, no entanto, mantiveram o suspense sobre quem estará se apresentando durante a virada.

Os tradicionais fogos estarão em 10 balsas dentro do mar, com data e hora para acontecer, todos coloridos com novo modelo. Serão 12 minutos de espetáculo. O responsável pelos fogos de artifício, Marcelo Kokote, afirmou que o espetáculo dos fogos estará adaptado às normas. Ele prometeu cores e desenhos do padrão de exibições da Disney.

“Serão fogos mais leves, com mais brilho e com mais cores. Tudo isso está vindo para Copacabana. Vamos trabalhar com cores, efeitos, formas geométricas, corações”, adiantou.

Os shows ocorrerão após três anos sem a virada de ano mais famosa do Brasil e serão transmitidos ao vivo, o canal, no entanto, ainda não foi divulgado. A estimativa de público da Prefeitura do Rio é de 2 milhões de pessoas na Praia de Copacabana.

A organização precisou ser substituída às pressas depois que a empresa MChecon, de São Paulo, que havia vencido a licitação, não conseguiu garantir que montaria a tempo a estrutura do Réveillon, que conta com palcos e banheiros químicos.

A empresa SRCOM, que já produziu 14 edições, foi convocada na semana passada para assumir a organização. Ela havia ficado em segundo lugar no edital da Riotur.

No ano passado, o prefeito Eduardo Paes cancelou a festa no início de dezembro, por conta de divergências entre os comitês científicos municipal e estadual. O prefeito respeitou a decisão do estadual, que desaconselhava a celebração à época.

Naquele momento surgia a variante Ômicron da Covid-19 e autoridades sanitárias temiam o recrudescimento da doença. “Se é esse o comando do Estado (não era isso o que vinha me dizendo o governador), vamos acatar. Espero poder estar em Copacabana abraçando a todos na passagem de 22 para 23. Vai fazer falta mas o importante é que sigamos vacinando e salvando vidas”, afirmou Paes no ano passado.

Proibição de fogos

A Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro aprovou no último dia 6 o projeto que proíbe a fabricação, comercialização e uso de fogos de artifício na cidade.

A regra, no entanto, permite o uso de fogos sem estampidos ou, ainda, os que produzam barulho de até 120 decibéis nos casos de eventos realizados pela Prefeitura do Rio ou instituições autorizadas pelo executivo municipal.

A proposta passa a valer 180 dias após sua aprovação.

Fonte: O Dia

Alerj

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *