Turista morto a pauladas em praia de Cabo Frio foi espancado por cerca de 15 homens após primo derrubar guarda-sol, diz Polícia - Tribuna NF

Turista morto a pauladas em praia de Cabo Frio foi espancado por cerca de 15 homens após primo derrubar guarda-sol, diz Polícia

IPTU - Prefeitura de Campos dos Goytacazes

O turista Rodrigo Canust Pereira, morto a pauladas na Praia do Forte, em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, foi espancado por cerca de 15 homens, segundo a Polícia Civil, depois que o primo da vítima encostou e derrubou um guarda-sol.

Segundo a Polícia Civil, a família disse que um grupo de barraqueiros já estava incomodado com a presença de Rodrigo e parentes no local, que ocuparam parte da areia com a própria barraca.

Três suspeitos de envolvimento na morte de Rodrigo Pereira foram presos em flagrante por policiais militares ainda na noite de sábado (10). A Polícia Civil segue com as investigações e busca pelos demais suspeitos.

O corpo da vítima, que morava em Queimados, foi liberado do Instituto Médico Legal (IML) de Cabo Frio no domingo (11) e será enterrado nesta segunda-feira, às 14h, no Cemitério da Envida, no Rio, segundo a família.

“É revoltante que algumas pessoas que trabalham na praia acreditem ser donas do local e tenham tirado a vida do meu irmão devido a uma disputa por uma tenda. Espancaram-no como se fosse um animal”. Hoje estamos aqui para buscar o corpo dele. Ele saiu de casa para se divertir e agora temos que levar seu corpo de volta,” desabafou Wanderson Aguiar, irmão da vítima.

A agressão ocorreu, ainda segundo a família, na frente da filha do rapaz, de 14 anos.

De acordo com a Polícia Militar, uma equipe estava em patrulhamento na área quando percebeu um desentendimento no mesmo local onde o videomonitoramento da PM já havia notado uma pessoa ferida no chão, na altura do Bolsão da Juju. Ao se aproximarem, os policiais viram a vítima caída, com ferimentos graves na cabeça.

Rodrigo foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros, mas morreu no Hospital Central de Emergência (HCE).

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *