Taxa da bandeira vermelha, cobrada na conta de luz, deve subir mais de 60% a partir de julho

O valor cobrado da bandeira vermelha 2, taxa extra da conta luz, irá subir mais de 60%. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) irá aumentar os valores das bandeiras tarifárias, acionadas quando o custo da geração de energia sobe. Este ano, a bandeira vermelha 1 foi acionada devido à crise nos reservatórios das hidrelétricas.

O diretor-geral da Aneel, André Pepitone, já havia confirmado um reajuste nas tarifas.

Veja os valores atuais:

  • Bandeira verde: não há cobrança adcional
  • Bandeira amarela: R$ 1,34 por cem quilowatts-hora
  • Bandeira vermelha 1: R$ 4,16
  • Bandeira vermelha 2: R$ 6,24

A Aneel deve divulgar os novos valores até o fim de junho, para que entrem em vigor a partir de julho. A taxa da bandeira vermelha 2 deve ser aumentada para cerca de dez reais, conforme o jornal.

A bandeira deve vigorar pelo menos até novembro. O objetivo é cobrir o custo da geração de energia por termelétricas.

RISCO DE DESABASTECIMENTO

Apesar do cenário de crise, a Aneel e o diretor técnico do Sindienergia descartam um desabastecimento do serviço no Brasil.

O Ministério de Minas e Energia estima que a geração de energia por termoelétricas irá custar R$ 9 bilhões aos consumidores em 2021.

A geração de energia por hidrelétricas está em 60% do total. O país tem gerado cerca de 17 mil megawatts médios de energia por termelétricas diariamente neste mês.

Esse deve ser o primeiro ajuste nas tarifas das bandeiras desde 2019. Analistas estimam que o valor da bandeira vermelha 2 deve chegar a doze reais para cobrir os custos. O montante arrecadado com a sobretaxa vai para uma conta única, que repassa os valores para os geradores de energia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *